A um mês do carnaval, os grupos da capital do país estão a enfrentar vários constrangimentos no que tange à organização da festa do Rei Momo. O SAPO esteve à conversa com o presidente do Vindos D’África, um grupo que foi fundado em 1986 no Bairro Craveiro Lopes, para saber como andam os preparativos.

Segundo José Gomes “Breu”, o tetracampeão do carnaval da Praia está a enfrentar os mesmos problemas dos outros grupos. “Todos os anos são os mesmos constrangimentos e não estão a criar condições. Apenas a Câmara Municipal da Praia tem apostado no carnaval. O Ministério da Cultura está a discriminar o nosso carnaval. Antes de ser ministro, Abraão Vicente foi júri do carnaval durante três anos e agora que assumiu o cargo o carnaval parece que deixou de ter significado para ele”.

O Vindos D’África já recebeu a primeira tranche da verba disponibilizada pela CMP, mas o presidente do grupo diz-se desmotivado. “Somos um grupo que tem superado a crise, mas como ativista cultural posso dizer que trabalhar desta forma é desmotivante. Estamos sem atrelado e o estaleiro está sem porta. Querem desmotivar os grupos para acabar com o carnaval da Praia. Está claro!”

Este ano o grupo vai retratar a cultura cabo-verdiana e chinesa no desfile na Avenida Cidade de Lisboa com o enredo “Diversidade Cultural Cabo Verde China”.

“A China é um dos parceiros fiéis de Cabo Verde e achamos que devíamos fazer esta homenagem merecida. E somos um grupo que tem apostado na divulgação da cultura crioula”.

No que diz respeito a quantidade de carros alegóricos que o grupo vai levar para a avenida, “Breu” disse que depende da quantidade de atrelados disponibilizados pela Enapor. Este ano a autoridade portuária cabo-verdiana disponibilizou um atrelado para cada um dos cinco grupos oficiais. “Apostamos em fazer um andor de qualidade e mais quatro réplicas”.

A música do Vindos D’África foi feita pelo próprio presidente do grupo em parceria com Hélder Gonçalves que era baterista do grupo Bulimundo. “A música é sobre a família e já está quase pronta. Vamos levar 10 alas divididas em 2 blocos e uma das alas retrata a família”.

Os ensaios do grupo arrancaram no dia 21 de janeiro no polivalente de Achadinha  e acontecem de segunda a domingo a partir das 19h00.

Apesar dos vários constrangimentos enfrentados anos após anos, “Breu” acredita que o tetracampeão do carnaval da Praia vai dar continuidade ao papel que tem feito durante três décadas. “Queremos mostrar que apesar das dificuldades somos capazes e continuamos focados em fazer o carnaval. A força de vontade supera sempre os constrangimentos”, conclui.