Os três responsáveis são unânimes em afirmar que tanto o trabalho de estaleiro, como dos ateliers de confeção de indumentária e os ensaios decorrem dentro do previsto, pelo que não prevêem qualquer problema ou atraso na saída dos grupos.

O grupo de Ladeira sai, tradicionalmente, no domingo que antecede a terça-feira de Carnaval e o presidente do grupo, Vando Irineu, disse à Inforpress que alguns andores ainda não foram pintados porque é cedo demais, mas já estão prontos para receber tinta.

Também no grupo do Tarrafal, os trabalhos estão avançados, os ensaios decorrem normalmente e a confeção das roupas também estão dentro do previsto, segundo palavras do representante do grupo Daír “Rincon” Spencer.

Em Penha de França, o optimismo é o mesmo e as diversas vertentes de preparação do grupo estão-se desenvolvendo dentro do previsto e “o grupo vai estar em força” na terça-feira de Carnaval, segundo o representante do grupo, Eduino Lima.

O vereador da Cultura, Francisco Dias, visitou os estaleiros e ateliers dos três grupos carnavalescos da cidade da Ribeira Grande e destacou o envolvimento das comunidades como potencial de sucesso para o Carnaval.

“Vimos novidades em todos os estaleiros que visitamos e acredito que vamos vencer os desafios este ano e nos próximos”, disse Francisco Dias, que vê o envolvimento das comunidades locais como “factor muito importante” e manifestou-se “muito satisfeito” com o que viu durante as visitas.

“Vimos muito trabalho, inovação e criatividade e isso significa que o Carnaval está a melhorar, na Ribeira Grande”, avançou o vereador que, por isso, pretende “lançar, aos grupos, desafios para melhorar a festa do Entrudo do próximo ano”, nomeadamente, a realização de concurso.

Na Ponta do Sol, o grupo local decidiu não sair este ano, mas a festa terá animação este domingo, com a saída de um “trio eléctrico”, com o conhecido compositor carnavalesco Constantino Cardoso.