No ano passado, os grupos de carnaval da Praia estiveram na avenida mas não competiram. Mas este ano, segundo o vereador da António Silva, todas as condições foram reunidas para que o Carnaval da Praia voltasse a ser “um dos melhores do país”.

Avenida renovada, investimento para melhorar o som e colocação de bancadas, para o conforto dos foliões, foram algumas das apostas da organização e pela reação dos presentes a aposta foi ganha.

A movimentação na avenida começou por volta das 15h30, ainda com pouca gente na assistência, com grupos de animação como o "Grupo de Professores da Praia", VerdFam e Mandigas Ariah do Norte.

Samba Jó, Estrela da Marinha, Vindos do Mar, Vindos d'África, Inter Vila e Bloco Afro Abel Djassi foram os grupos da primeira divisão que desvendaram os seus enredos na terça-feira de carnaval.

Com cerca de 50 minutos de atraso, Samba Jó foi o primeiro a entrar na Avenida com dois carros alegóricos. Com o enredo "Maravilhas do Universo", o grupo trouxe, em cada ala, a representação de um planeta.

Apesar de ter anunciado uma redução no orçamento, o grupo esteve à altura, a avaliar pelos muitos aplausos do público.

O agrupamento da Terra Branca, Estrela da Marinha, entrou no sambódromo da avenida por volta as 17h30. Com 11 alas, retratou a "Civilização Romana" trazendo Cleópatra, Gladiadores e Damas do amor, entre outos.

Leroy Pinto e Vacy Chantre deram voz à composição de Constantino Cardoso durante o desfile que levou para a avenida um carro alegórico e um abre-alas com a imagem de Obelix.

Com o enredo “Pão e Fonema - Uma homenagem ao poeta Corsino Fortes", Vindos do Mar desfilou com dois carros alegóricos, um sobre a importância da alimentação e um segundo que retratou a vida e obra do poeta.

"Temos de aproveitar este espaço para valorizar grandes figuras da nossa sociedade", disse um dos integrantes do grupo durante o desfile.

O campeão em título, o Vindos d'África, fez jus ao nome e homenageou o continente africano com o enredo "Mãe África" e fez vibrar a avenida com seis alas e um andor.

A satisfação era visível no rosto dos que assistiam ao desfile, marcado por muita cor e animação.

O "Inter Vila" entrou na avenida para festejar os 30 anos de existência e com alegria e boa disposição contagiou os presentes.

Já se fazia noite quando o último grupo, o "Bloco Afro Abel Djassi", entrou na Avenida para contar a história de Cabo Verde, desde a sua descoberta até os nossos dias.

Os grupos foram avaliados em nove categorias: Música, Carro Alegórico, Bateria, Rei e Rainha, Figurino, Mestre de sala e Porta-bandeira, Organização do desfile, Rainha de bateria e Coerência Temática.

Os vencedores serão anunciados ainda esta terça-feira, segundo a organização. O primeiro lugar da primeira divisão vai receber 450 contos, avançou o vereador da cultura.

De recordar que os dois grupos, que fazem parte da segunda divisão desfilaram no domingo.

António Silva: "Vamos tornar o carnaval da capital um dos melhores do país"

De acordo com o novo figurino do Carnaval praiense, o último lugar da primeira divisão desce automaticamente para a segunda divisão e o primeiro da segunda divisão passa para a primeira divisão.

Este ano a Câmara Municipal da Praia apostou na organização do certame com a abertura da avenida e colocação de bancadas. Para o presidente Óscar Santos, é "um sinal forte” que querem melhor a qualidade do carnaval.

"Ainda temos um caminho longo para percorrer, mas com esforço e meios financeiros, e acho que é o momento das empresas entrarem e patrocinarem o carnaval, podemos torná-lo num produto turístico importante", afirma Óscar Santos.

O edil prometeu que continuará a fazer o seu papel mas apela para que a Liga se empenhe. "Têm de começar a pensar no carnaval já na próxima semana e não deixar para o próximo ano. É importante que apostem na organização".

"Estou satisfeito, no ano passado lançamos o desafio de colocar a cidade da Praia no topo e acho que estamos no caminho certo", termina.

Já o vereador da Cultura da Praia fez questão de enaltecer o civismo durante os desfiles e à semelhança do que disse o presidente da Câmara da Praia, fez um apelo aos grupos para trabalharem cada vez mais e melhor.

"Já cumprimos a nossa parte, cabe aos grupos fazerem a sua. Não podem só ficar à espera e dois ou três meses antes virem reclamar financiamento".

O objetivo, segundo António Silva, é tornar carnaval da capital um dos melhores do país. "Aliás a Praia é a capital, tem de estar entre os melhores".

E deixou um apelo: "Gostaríamos que o não houvesse assim tantos grupos no carnaval oficial, mas é a liga que decide. Espero que no próximo ano, revejam a organização em termos daquilo que querem de cada grupo, para termos menos grupos, mais organização e mais carnaval".