Em comunicado enviado a Inforpress, o Governo explica que a decisão baseou-se na análise dos resultados e do “sucesso” do primeiro edital para o incentivo ao Carnaval e das propostas apresentadas.

O Ministério da Cultura concluiu, assim, que se tratou de uma “aposta ganha” na dinamização cultural, social e económica das duas ilhas, mas também do sector turístico em Cabo Verde.

Assim, em relação a São Vicente, os grupos Monte Sossego, Cruzeiros do Norte, Vindos do Oriente e Flores do Mindelo receberão um milhão de escudos cada, ao passo que a Escola de Samba de Tropical, que participa no desfile oficial de terça-feira do Carnaval, recebe o valor de 800 mil escudos.

Para a ilha de São Nicolau, onde não se realiza um concurso oficial, seguem 900 mil escudos para o grupo Copa Cabana, a celebrar este ano o 75º aniversário, 650 mil escudos ao grupo Estrela Azul e o mesmo valor ao grupo Brilho de Zona.

No documento, o Governo, através do Ministério Cultura e das Indústrias Criativas, assinala que “assume e propõe-se” a incentivar toda a indústria/economia criativa à volta do Carnaval de São Vicente e do Carnaval de São Nicolau, proporcionando uma “distribuição de renda” para estimular os grupos e as várias classes profissionais envolvidas directa ou indirectamente, que irão ter acesso ao incentivo na materialização das suas actividades profissionais.

Na quarta-feira, 03, o mesmo O Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas anunciara que vai financiar, este ano, os prémios do Carnaval da Cidade da Praia a 100 por cento (%), com vista a conferir “maior projecção” ao Entrudo realizado na capital.