Um maior número lugares sentados, um sistema de som que permitiu com que se ouvisse os temas dos grupos ao longo de todo o percurso da avenida e uma iluminação adequada ao longo de todo o sambódromo foram alguns dos factos salientados pelo público nesta edição.

De salientar que milhares de praienses marcaram presença na Avenida Cidade Lisboa para assistir ao habitual desfile de terça-feira de Carnaval.

A tarde começou com a entrega de prémios aos vencedores do Carnaval das escolas do EBI momentos antes do arranque de mais um desfile oficial de Carnaval. A Escola Capelinha é a campeã deste ano, sendo que a Escola SOS ficou em segundo lugar e a de Eugénio Lima ficou em terceiro.

Por volta das 16h00, começaram a desfilar na Avenida Cidade Lisboa os primeiros grupos de animação com destaque para um coletivo de idosos da câmara da capital e ainda um grupo carnavalesco da Guiné-Bissau.

Samba Jó foi o primeiro grupo oficial a entrar na Avenida com um tema de homenagem ao Brasil. O coletivo que no ano passado ficou em terceiro lugar no pódio, trouxe 450 foliões distribuídos em 8 alas, com várias figuras de destaque e um carro alegórico. No final, João Elias Teixeira mostrou-se satisfeito com a participação do grupo fruto de uma grande esforço ao longo de vários anos de participação.

O segundo grupo a entrar no sambódromo foi o Vindos do Mar, da Achada Grande Frente, Com um enredo dedicado à “Descoberta de Cabo Verde em seis momentos”, o grupo que ficou em último lugar no Carnaval do ano passado, desfilou com seis alas e dois pequenos carros alegóricos.

Seguiu-se o grupo Maravilhas do Infinito, que entrou no sambódromo já passava das 18h00. Com dois andores e quase 300 figurantes, alguns inclusive estrangeiros, distribuídos por 7 alas bem compostas, o grupo apostou num tema colorido intitulado “Tesouro do Oriente, a rota das especiarias”. Entre os foliões do grupo, na ala das Baianas, marcou presença a ministra da Educação, Maritza Rosabal.

A entrada do tetracampeão do Carnaval praiense, o Vindos d’África, na Avenida Cidade Lisboa foi recebida com forte ovação do público, já passava das 19h00. O grupo que apostou na iluminação destacou-se pelo número de figurantes – mais de 400 e pelas várias figuras de destaque. Como tema o campeão em título escolheu abordar a diversidade cultural e a cooperação entre Cabo Verde e China e surpreendeu com a presença de chineses no cortejo carnavalesco.

Já passava das 20h00 quando teve lugar o desfile de um grupo de animação de Mandingas que arrastou uma multidão animada no seu cortejo.

Por fim, já perto das 20h30, entrou no sambódromo o último grupo oficial, o Bloco Afro Abel Djassi, cujo desfile ficou marcado pelo atraso, já que o grupo teve inclusive de trocar lugar com o Vindos d’África. Um outro percalço com o som, também acabou por marcar o desfile do gripo, mas que acabou por ser colmatado pela batucada. Com três alegorias, grupo prestou homenagem à cultura africana e de Cabo Verde, tema que o destacou dos restantes concorrentes.

De recordar que nesta edição, os grupos Inter Vila e Estrela da Marinha não marcaram presença no desfile oficial, por vários motivos.

O evento foi transmitido pela televisão pública, TCV.

Vencedores conhecidos no dia 6

No final dos desfiles, diretor da cultura na Câmara Municipal da Praia, Ivan Santos, afirmou que o evento decorreu na normalidade apesar do ligeiro atraso inicial e do posterior atraso do Bloco Afro Abel Djassi.

Os cinco grupos oficiais foram avaliados por um  júri de 27 elementos, distribuídos em duas bancadas, que tiveram em conta 9 categorias diferentes.

Segundo a CMP, os vencedores desta edição são anunciados amanhã, dia 6, a partir das 18h00.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.