Abraão Vicente, que vincou a promessa de aumentar paulatinamente a verba, manifestou a sua alegria pela forma como a cidade da Praia está a ser mobilizada à volta do Carnaval, numa altura que, atestou, grande parte dos grupos já recebeu o subsídio dos 200.000$00 cada, proveniente do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas.

Enalteceu a congregação de esforços que disse ter notado tanto em Achada Grande Frente, onde se inteirou do desenrolar dos trabalhos do “Vindos do Mar” e do “Maravilhas do Infinito” como no Bairro Craveiro Lopes, onde visitou o “Vindos d’África”, alegando que têm proporcionado uma “dinâmica dentro das comunidades”

“Há uma vontade enorme das pessoas fazerem um Carnaval com mais qualidade. Isto é o mais importante e perceber que também há um alinhamento institucional por parte da câmara municipal e do Governo no sentido de apoiar da melhor forma. Nota-se um engajamento não só das pessoas da Praia mas também de muitas ilhas, São Nicolau, São Vicente, …”, notou.

Abraão Vicente disse-se convicto de que a cidade da Praia vai ter um Carnaval muito cosmopolita pelo que disse estar expectante para perceber o nível dos andores que estarão na Avenida Cidade de Lisboa, na terça-feira do Carnaval, 25 de Fevereiro.

Dez mil e 800 contos é o valor total do investimento do Ministério da Cultura para o carnaval 2020, dos quais 50 por cento distribuído para a ilha de São Vicente, cerca de 1/3 para a ilha de São Nicolau e o resto distribuído entre as câmaras municipais, mediante o pedido formal num apoio no valor de 200.000$00.

O governante explicou que para o carnaval deste ano o Ministério que tutela teve um novo critério de distribuição, pelo que cada grupo da cidade da Praia foi contemplado com 200.000$00, num total de 1.400.000.00 (um milhão e quatrocentos mil escudos), prometendo aumentar este valor com o passar do tempo.

Abraão Vicente realçou que a Câmara Municipal da Praia tem feito um investimento enorme nos últimos tempos, ao dotar a cidade da Praia de uma Avenida com bancadas que proporciona aos grupos as condições de desfile, alegando que existe uma vontade da parte dos grupos e dos seus organizadores de terem uma fatia maior, demonstrada nos trabalhos de casa.

A este propósito explicou que o Governo “não podia ser insensível à vontade da cidade da Praia” e garantiu que continua na lógica de financiar o Carnaval de São Vicente e de São Nicolau, por já ter um nível muito avançado, mas que estará atento as dinâmicas que surgem numa cidade como a da Praia.

A visita do ministro da Cultura e das Indústrias Criativas prossegue esta quarta-feira aos estaleiros do grupo Deusa do Amor e Bloco Afro Abel Djassi (Achada de Santo António), Estrelas da Marinha (Terra Branca) e Samba Jó (Palmarejo).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.