Sonhos sem limite: “O circo e as fantasias do Mindelo”

"É uma grande dificuldade trazer o Carnaval para a rua todos os anos, fazemos isto só por paixão, porque o benefício é nenhum", contou São Costa.

A responsável do grupo foi também uma das suas fundadoras e sai à rua todos os anos no Carnaval desde 1998. Mas afirma, isto é uma paixão que exerce com muitas dificuldades: "Se a Câmara nos entregasse os valores a tempo, conseguíamos fazer um Carnaval muito melhor."


São Costa

 

Este ano, o enredo é dedicado ao Circo."Em Cabo Verde não temos circo, mas se tivéssemos, tínhamos que ter lá animais da terra, por exemplo cabras, porcos e macacos, então é isso que nós pretendemos trazer", avançou.

Para representar este enredo o grupo, vai ter oito alas com cerca de mil figurantes. O público vai poder ver o espaço dos palhaços, magos, dançarinas de cabaret e bailarinas, diferenciadas por cores. 

O grupo de Ribeira de Julião tem três temas musicais: o "Circo" de Constantino Cardoso, a "Vida é um circo" de “Midjoi” e o "Domador" de Vlú. Prometem também dois carros alegóricos, um trio e uma jaula que trará os animais.

Monte Sossego: “Copa 2014: Os caminhos entre Cabo Verde e Brasil. Os 30 anos de Monte Sossego”

António Duarte em preparativos"Temos um projecto extremamente ousado, que está a ser trabalhado de forma muito criativa, com carros alegóricos como há muito tempo não são vistos, temos a absoluta certeza que vamos surpreender", assegurou António Duarte, o novo presidente do grupo.

O Monte Sossego espera ter entre 1200 a 1300 foliões na rua na terça-feira, com três carros alegóricos que de acordo com António Duarte, vão espelhar a Copa 2014, os caminhos de Cabo Verde e Brasil e os 30 anos do grupo.

"As alas vão retratar a rota de escravos entre Cabo Verde e Brasil, a Amazônia e o futebol", explicou o presidente.

Este ano o tema a ser dançado é "Bola na relva" de Constantino Cardoso. O responsável garante que vão ter também algumas figuras de destaque a desfilar, mas não avançou nomes.

Vindos do Oriente: "Rota das especiarias, Chá e cacau"

Lili Fortes

Para os Vindos do Oriente a expectativa ainda é mais elevada. O grupo que já não desfila há 10 anos começou em 1973 com a mão de “Nho Doi”, com o qual Lili Freitas cresceu e conheceu a essência do Carnaval.

Foram crescendo com amigos e familiares até que todos já se conheciam como uma única família e assim foi até 2004, ano em que por motivos de saúde Lili Freitas teve de parar.

Restabelecida a saúde, foi a sua filha Cely Fortes que decidiu presentear a mãe com o regresso ao Carnaval e a adesão foi elevada. "Os filhos de muitas das nossas amigas, que morreram entretanto, apareceram em força para honrar o nome das suas mães", contou Lili Freitas.

Fernando "Noia" Morais foi o autor do enredo, um artista que começou a desfilar no grupo aos 11 anos, de acordo com a presidente.

Os Vindos do Oriente vão cantar os temas "Especiaria Oriental" de "Midjoi" e "Caldeirinha de sabura" de Constantino Cardoso, numa representação da rota da Índia, a passagem de Vasco da Gama e a ligação com Portugal.

São cerca 600 figurantes em oito alas que vão girar entre “Chocolatim”, especiarias, borboletas, chá das cinco, cacau e um desfile dedicado às mães e filhos. Em três carros alegóricos vão ser retratadas a chegada de Vasco da Gama, a passagem pela China e pela Índia e outras fantasias que ainda são surpresa.

"Este ano vai ser uma experiência, vamos testar para corrigir as falhas, mas as minhas filhas já disseram que não vão parar", afirmou.

Cruzeiros do Norte: À conquista do tetra através da “Fama”

Jailson JufeJailson Juff quer trazer mais de 900 foliões à Avenida com o tema Fama. "Todos os aspectos da fama, desde monumentos, pessoas, objectos e cinema, e para isso vamos ter um carro alegórico que vai falar sobre os meios de transporte, as lutas dentro no coliseu em Roma, um sobre cinema e ficção e outro sobre a moda", explicou.

Serão no total quatro carros alegóricos novos, mais os quatro vencedores dos anos anteriores. As suas vinte alas vão desfilar ao som de "Fama na top" de Zé Bentu, um compositor de zona de Cruzinha.

Os Cruzeiros do Norte seguem há três anos consecutivos com o título de melhor grupo portanto a ansiedade é grande. Mas Jailson Juff refere que apesar de o tema ter sido planeado logo após o final do Carnaval do ano passado, as condições financeiras só permitiram ao grupo começar com os trabalhos em Janeiro.

"O Carnaval tem de ser levado mais a sério, porque pode trazer muito a São Vicente, é um período que traz muito emprego a jovens que de outra forma estariam desempregados", afirmou.

Flores do Mindelo: “Mitos e lendas: de um sonho à realidade. Uma viagem inesquecível à China”

Ivanilda Soares Delgado

O enredo pretende contar a história de um sonho à China, de acordo com Ivanilda Soares Delgado, uma das filhas da presidente Ana Soares.

“Vamos ter dois carros alegóricos, um para representar o sonho, enquanto o outro figura os mitos e lendas, com 14 alas em que uma é dedicada à bateria”, avançou.

O grupo está no segundo lugar há três anos consecutivos e quer mudar a sua posição na tabela para o primeiro, tal como na primeira vez que saiu à rua em 2004.

O número dos foliões já está próximo dos 800 e a primeira ala a entrar no sambódromo é a do ano do Cavalo, as outras terão uma mistura entre o sonho e a realidade.

O Flores do Mindelo têm duas músicas este ano: "Um sonho inesquecível" de Sidney Duarte e "Ni Hao" de Constantino Cardoso.

São esperadas também algumas surpresas. "Acredito que este vai ser um bom Carnaval, estão a participar grupos que têm apresentado bons trabalhos, o único apelo que faço é para que as empresas adiram mais, por que o Carnaval faz parte da nossa cultura e para que possamos fazer trabalhos cada vez mais bonitos", concluiu Ivanilda Soares Delgado.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.