Trata-se, segundo o porta-voz da Liga, José Gomes, de um “momento único” em que o objetivo é unir e trabalhar para a melhoria do Carnaval da Praia e dos grupos existentes na capital.

Em conferência de imprensa, a que assistiu o vereador da Cultura da Câmara Municipal da Praia, António Lopes da Silva, o porta-voz informou que a Liga se encontra, neste momento, a finalizar o processo da sua legalização.

Sem muitas explicações, José Gomes avançou que a Liga já fez algumas propostas à câmara sobre o Carnaval 2018 e que incide na criação de bancadas laterais na Avenida Cidade de Lisboa, o retiro do separador central, assim como a existência de três locais com disposição de elementos de júri, sendo uma no início da Avenida, outra no meio, e outra no fim da linha do desfile.

“O propósito da Liga é unir e projetar as atividades carnavalescas, culturais e recreativas, visando a promoção de um grande espetáculo cultural e potenciá-lo como um produto turístico da Cidade da Praia”, explicou.

As propostas da câmara, segundo o porta-voz da Liga, vão ainda ao encontro da criação de condições para que os grupos possam ter um espaço onde ensaiar e trabalhar, assim como aquisição de instrumentos para a criação de uma batucada própria do grupo.