O grupo carnavalesco Estrela Azul vai homenagear a cultura de São Nicolau, bem como algumas figuras da ilha, na festa do Rei Momo.

“É uma forma de valorização, bem como uma chamada de atenção para a cultura de São Nicolau”, explica o presidente do grupo, Iemilson Silva.

Segundo a mesma fonte, apesar de algumas dificuldades, os preparativos para o carnaval 2017 estão a correr a bom ritmo.

“Só no sábado, 4, é que o Ministério da Agricultura cedeu uma viatura, que usamos no transporte dos andores. Normalmente, são duas, mas este ano cederam apenas uma. Este ano vamos trabalhar ‘em cima do joelho’”, diz indignado.

No que se refere aos patrocínios, o presidente do Estrela Azul revelou ao SAPO que até ao momento receberam apenas 150 contos da verba disponibilizada pelo ministério da Cultura, que foi parcialmente usada no pagamento das dívidas do ano passado, e 150 contos da Câmara Municipal de Ribeira Brava, sendo a verba total de 450 contos.

“A previsão era receber a segunda tranche da verba disponibilizada pelo nosso principal parceiro (ministério da Cultura) em finais de janeiro, mas até agora nada. E ainda não tivemos nenhum feedback de outros parceiros”, diz a mesma fonte.

Este ano, o Estrela Azul vai levar dois andores e seis alas para as ruas da cidade de Ribeira Brava.

No que diz respeito às figuras de destaque, Iemilson diz que este ano a rainha é Leony Lopes, que vem dos Estados Unidos da América, e o rei é José Andrade, um jovem natural da ilha do Fogo que chegou a residir em São Nicolau, mas que atualmente vive no Sal. “O rei e a rainha chegam no dia 15 de fevereiro”.

A mesma fonte revelou ao SAPO que no dia 21 deste mês chega uma caravana proveniente da ilha do Sal que vai participar nos desfiles e no “Trio Patche” no dia 22, um evento que vai acontecer pela primeira em São Nicolau.

Da programação do grupo consta ainda uma tenda eletrónica.

É de realçar que os ensaios oficiais do grupo arrancam no próximo domingo, 12.