O presidente do Brilho de Zona, Eduíno Gonçalves anunciou esta quarta-feira, 10, que deixou a liderança do grupo carnavalesco que existe há 27 anos em São Nicolau.

Em declarações ao SAPO, Eduíno Gonçalves afirma que deixa a liderança do grupo devido a vários constrangimentos, mas assegura que continuará a dar a sua contribuição.

Segundo o ex-líder do Brilho de Zona, um dos motivos da sua saída do grupo prende-se com as declarações do ministro da Cultura, Abraão Vicente, que terá afirmado que os grupos de São Nicolau não apresentaram as contas do carnaval do ano passado ao MCIC, o que, segundo Eduíno Gonçalves não corresponde à verdade.

“Houve algum desorientamento com as mudanças feitas dentro do Ministério da Cultura. A pessoa que recebeu as contas do Carnaval do ano passado acabou por deixar a instituição e nessas mudanças o nosso processo ficou sem seguimento”, defende.

A mesma fonte acrescenta ainda que organizar um desfile de carnaval é um processo “bastante desgastante”.

“Há uma tendência de comparar o carnaval de São Nicolau com o de São Vicente, mas o nosso carnaval é feito de outra forma. Exige um engajamento de pessoas e quando aparecem problemas como o apresentado pelo MCIC, gera desconfiança em torno do grupo. Onde existe desconfiança não é o meu lugar".

A divisão desigual do orçamento disponibilizado pelo MCIC para o carnaval de São Nicolau, em que o grupo Copa Cabana, que comemora 75 anos de existência, recebe 900 mil escudos e os grupos Brilho de Zona e Estrela Azul vão receber 650 mil escudos cada, está a causar polémica entre os grupos.

De acordo com Eduíno Gonçalves, todos os anos os grupos comemoram o aniversário e nunca receberam esse “bónus”. “Gostava de receber outra justificativa do ministro da Cultura”.

Apesar de ter deixado a liderança do grupo, o responsável continua envolvido nos preparativos.

“A viagem e o degelo” é título do enredo do Brilho de Zona que vai levar duas alas para a avenida. “A nossa ambição é levar três alas e dois andores. Mas o problema das viaturas para o transporte dos andores ainda persiste. Vamos fazer andores sem garantia de onde coloca-los. Do resto já está tudo encaminhado”, diz.

No que tange às figuras de destaque deste ano, o ex-líder do grupo diz que o rei é João Gonçalves que vem dos EUA e a rainha é Coli Ganeto que reside no Sal. “No dia 20 deste mês vamos receber o nosso rei e a nossa rainha chega no dia 2 de fevereiro”.

Os ensaios do grupo Brilho de Zona começam duas semanas antes do carnaval sob a orientação da comissão carnavalesca do grupo.