O vereador da cultura da CMP considera “descabida” a decisão do Inter Vila em suspender a participação no desfile do Carnaval 2016, e diz que não é a primeira vez que o grupo recebe verbas e desiste de participar.

Em entrevista hoje à Inforpress, António Lopes da Silva confirmou que a autarquia autorizou que o grupo carnavalesco Inter Vila realizasse os ensaios no polivalente de Vila Nova e que o próprio chegou a conversar com o presidente da associação que podiam utilizar o espaço.

Entretanto, este responsável afirma que, não é a primeira vez que o grupo recebe verbas que anualmente são disponibilizadas pela Câmara Municipal para ajudar nos preparativos do Carnaval, mas desiste sem nenhuma “razão concreta”.

Por seu turno, o presidente da Associação do Inter Vila, José Carlos Fernandes, em entrevista quinta-feira à Inforpress, disse que houve quatro tentativas de arranque de ensaios no polivalente de Vila Nova nos dias 15, 16, 17 e 18 de janeiro, todas “sem sucesso”, uma vez que o Sr. Florindo Vieira (Cajá) exigia uma comunicação por parte da Câmara Municipal da Praia para ele, enquanto responsável pelo espaço do polivalente de Vila Nova.

“Sem o habitual espaço para a realização dos ensaios e tendo em conta que não existe nenhum outro espaço que pode ser aproveitado para este efeito, não temos condições para participar no desfile de Carnaval, porque a dinâmica do Carnaval está nos ensaios”, afirmou.

No entender do autarca, este é mais um “episódio” e um momento “propício” para grupos ou pessoas, tirarem o “dividendo político”, devido à situação política que se vive no país, alegando que as campanhas eleitorais e as eleições são "motivos suficientes" para haver “erros na comunicação” e criarem situações que poderiam facilmente ser resolvidas.

“Se por ventura a câmara não tivesse cedido o espaço, o que não aconteceu, o grupo podia também perfeitamente tentar resolver esta questão junto da autarquia porque nem sequer nos comunicaram sobre a não participação nas festas do Rei Momo. Autorizamos o pedido, já disponibilizamos as verbas, o quê é que mais querem da câmara?”, questionou António Lopes da Silva.

Entretanto, disse que não vê isso como “razão” para o Inter Vila suspender a participação no desfile da festa do Rei Momo, no dia 09 de Fevereiro, e que no seu ver, o problema está na própria organização interna do grupo, adiantando que, o mesmo terá de devolver as verbas, que depois serão distribuídas a outros grupos.

Mas adianta que a Câmara Municipal da Praia está disponível para junto do grupo resolver esta situação.

O Grupo Inter Vila é um grupo tradicional do Carnaval da Praia tem vindo a participar nos desfiles desde o ano de 1993, com algum período de interrupção. Foi tricampeão da Praia conseguindo o primeiro lugar nos anos de 2010, 2011 e 2012, além de vários outros prêmios e classificações em outras edições.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.