Numa visita ao ateliê do homem que diz “respirar o samba”, reinou no seio da comitiva mindelense um misto de espanto e encanto pela beleza dos trajes de outros carnavais ali expostos e “choveram” perguntas sobre todos os pormenores para a confecção das peças.

Zezito Ávila explicou e mostrou tudo, inclusive as peças em construção com as quais vai desfilar este ano em pelo menos três escolas de samba já que, apesar de pertencer à Beija-Flor há 40 anos, nos últimos tempos tem prestigiado diversas escolas de samba do Brasil.

À Inforpress e sobre a parceria Cabo Verde/Brasil, Zezito Ávila afirmou que intercâmbio é “sempre bom e importante”, e se for cultural, então, “melhor ainda”.

“Acho que essa aproximação que a gente tem com Cabo Verde, através desta parceria, é de fundamental importância para as pessoas, como seres humanos, porque permite troca ideias e conhecimentos”, concretizou, pelo que terá as portas do seu ateliê “sempre abertas” para ajudar “no que for preciso”, pois os dois lados “só têm a ganhar”.

Uma das mais premiadas figuras de destaque do Carnaval brasileiro, Zezito Ávila chegou, no entanto, ao Rio de Janeiro, há 40 anos para ser mecânico, mas foi “tomado” pelo “encanto do Carnaval”, que “falou mais alto”.

“Fui tomando o gosto e me tornei num grande apaixonado por essa arte, por o que representa o samba e a sua força através do povo e das tradições”, declarou, pelo que, sintetizou, hoje para ele o Carnaval “é tudo”, e foi por isso que se especializou em fantasias (trajes) de luxo.

Até os primeiros anos da década de 2000 trabalhou para várias agremiações na confecção de trajes, mas sempre focado na Beija-Flor, que foi e é seu carro chefe, sendo das poucas figuras de destaque, conforme disse, que desfila, executa a confecção do seu traje e tem o seu ateliê próprio.

“Sou o primeiro destaque da Beija-Flor, bandeira que defendo há 40 anos, e ultimamente decidi desfilar por outras agremiações porque passei a ter um pouco mais de tempo, e o Carnaval é a minha grande paixão”, reforçou.
Constrói várias peças ao mesmo tempo no seu ateliê e precisa de dois a três meses para conceber, executar e pôr pronto um traje de luxo.

Diz que financia os seus trajes do seu bolso porque se trata de um investimento ao seu sentimento, embora considere que seria bom se houvesse um financiamento.

Hoje, penúltimo dia da estada da caravana do Carnaval do Mindelo no Brasil, os elementos dos seis grupos ultimam as compras de materiais para o desfile de 25 de Fevereiro de 2020, já que o regresso a São Vicente inicia-se na quarta-feira, 11, com escala em Lisboa, Portugal.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.