Em conversa com à Inforpress, Emanuel Cabral afirmou que vão continuar a manter essa tradição como forma de preservar os aspetos genuínos do Carnaval de São Nicolau.

“Um dos aspetos desta genuinidade do nosso Carnaval é a questão surpresa, e o tema é preservado até ao fim. As pessoas só saberão no dia do desfile, após apresentarmos o nosso projeto para o público”, explicou.

Entretanto, garantiu, estão em condições de apresentar um produto de qualidade, uma vez que foi constituída uma comissão de trabalho para desenvolver o projeto do Carnaval 2019.

Informou ainda que tanto o estaleiro como o ateliê de costura já estão a funcionar e os ensaios só iniciarão em fevereiro.

Em relação ao reinado, revelou que o rei e a princesa, deste ano, são de Estados Unidos e a rainha de Holanda, e estes deverão chegar à “Ilha do Chiquinho” nos dias 23 e 24 do próximo mês.

Assim como todos os anos, Emanuel Cabral, que está a frente da direção do grupo desde 2012, prometeu recebe-los no aeroporto com “muita pompa e circunstância e muita batucada”.

Relativamente ao financiamento, o grupo vai receber os 800 contos do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, mas espera contar com o apoio da câmara municipal, da população e da comunidade emigrada.

“O nosso maior patrocinador é a população que envolve em massa e nos ajuda a levar para a frente esse desafio de colocar o Carnaval todos os anos na rua. Temos ainda a comunidade emigrada que, todos os anos, para além do carinho, dão o apoio moral e algum apoio material”, disse.

Como é habitual, Copacabana vai sair com dois carros alegóricos e mais um carro que vai transportar o grupo musical durante os três dias de desfile.

Em relação aos figurantes, afirmou, ainda é cedo para contabilizar.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.