Em declarações à Inforpress, João Elias Teixeira fez saber que estão numa “correria contra o tempo”, pois faltam apenas 16 dias para o desfile oficial dos grupos da Praia na Avenida Cidade Lisboa, uma vez que receberam tardiamente os subsídios.

“O subsídio atribuído pela câmara este ano foi louvável, o único problema é que chegou tardiamente. Nós vamos receber os 800 mil escudos e já recebemos a primeira tranche que é de 600 contos”, explicou, lamentando o facto de o grupo não ter espaço para realizar actividades durante o ano, com vista a angariação de fundos que poderiam ajudar-lhes a iniciar os trabalhos com a devida antecedência.

Este responsável defendeu que o problema de fazer Carnaval, este ano, não é dinheiro, mas sim é terem criado todas as condições logísticas para que possam levar avante o projecto do grupo.

Este ano, sublinhou, está sendo o mais complicado, visto que, devido à falta de condições no lugar onde ensaiam, estão a ter problemas em precisar quantos figurantes vão ter no desfile do dia 25.

Conforme João Elias Teixeira, nos anos anteriores a Câmara Municipal da Praia vedava o terreno baldio onde os foliões ensaiavam e colocavam relva no chão, mas este ano, até agora nada foi feito.

“As pessoas acabam por desistir devido a conflitos que surgem na rua. Não temos segurança (…), espaços de ensaio e de estaleiro para construção dos carros alegóricos em condições”, notou, avançando que a casa onde estão a confeccionar os trajes é que está a servir de estaleiro.

João Elias Teixeira disse que já é do conhecimento da autarquia os constrangimentos que o grupo está a enfrentar e que por várias vezes tentou, sem sucesso, falar com o director da Cultura para que este possa ir constatar no terreno essas dificuldades, uma vez que, entende “é dever da autarquia criar condições logísticas”.

No bairro de Palmarejo, frisou, não existem placas desportivas públicas e as placas privadas do liceu Abílio Duarte e da Universidade de Cabo Verde estão ocupadas à noite com ensaio de um outro grupo e com jogos.

Para o desfile carnavalesco do dia 25, Sambajo vai retratar o tema “África Minha, África Nossa” na perspectiva de dar a conhecer na avenida, através dos trajes e do carro alegórico, a história deste continente, a sua cultura, a sua beleza e riqueza.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.