O governante falava aos jornalistas na noite desta terça-feira, à margem dos desfiles de Carnaval dos grupos realizados na Avenida Cidade de Lisboa.

“Eu continuo a acreditar que Praia tem que desenvolver um modelo diferente de Carnaval. Para além deste do desfile, eu creio que Praia tem todas as condições para ter um Carnaval mais popular, com base em bandas a tocar e toda a população envolvida”, defendeu Abraão Vicente, para quem “grande parte das pessoas quer fazer parte da festa”.

O ministro informou que já houve uma conversa preliminar com a câmara municipal e que o presidente da autarquia, Óscar Santos, “acarinha a ideia”.

“Vamos tentar fazer na cidade da Praia um Carnaval diferente, um Carnaval popular, em que as pessoas participam e têm um suporte de bandas musicais diferentes (…) mas é importante perceber que isto tem que ser algo dos privados”, prosseguiu.

Abraão Vicente disse ainda que o Carnaval na ilha de Santiago sempre foi um Carnaval com todo o povo a participar e não um Carnaval do Brasil, dos desfiles e do Sambódromo.

“Basta ver o Carnaval de Salvador da Baía, ou do Recife (Brasil), em que qualquer disfarce é válido para as pessoas estarem na festa”, exemplificou.

Ainda nas suas declarações, Abraão Vicente elucidou que a Avenida Cidade Lisboa é a melhor avenida para fazer Carnaval em Cabo Verde, por estar melhor preparada.

“Não tem o charme do centro do Mindelo, mas tem todas as condições para fazer uma festa popular de alto nível. Nós temos que aproveitar as fraquezas e treinar a população para que nos próximos anos ter outro nível (…) Formar os bairros para terem os seus grupos e fazer com que esse trabalho seja um trabalho também comunitário ao longo do ano”, defendeu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.