No espaço de três filmes em cinco anos, John Wick tornou-se um dos assassinos mais mortíferos da história do cinema, mas Tim Allen julgava que tinha o plano perfeito para o matar. Só não contou com Keanu Reeves e a forma empenhada como este defende a sua personagem.

Durante uma recente entrevista a Jimmy Kimmel, o ator "queixou-se" que "Toy Story 4" tinha "demasiado Keanu Reeves", dando a entender existirem alguns ciúmes por Buzz Lightyear ter menos brilho do que nova personagem, a do duplo canadiano chamado Duke Caboom.

A seguir, partilhou uma história sobre o encontro que tiveram na antestreia da animação, pouco tempo após ele ter visto "John Wick 3 - Implacável".

Durante o evento, Tim Allen contou a Keanu Reeves a sua estratégia para matar John Wick se fosse um dos vilões: trazê-lo para um espaço aberto porque o que se deve evitar é confrontos em fábricas ou bares, "porque é aí que ele mata tipo 700 pessoas num minuto".

"O que faria era esperar que saísses da tua casa, porque tens um pequeno cão que levas a passear. Estaria do outro lado da rua com uma grande espingarda e eliminava-te quando estivesses a sair da casa", contou.

Na resposta, Reeves, com toda a confiança, foi simples e, claro, tão implacável como a sua personagem: "Ele nem sequer pestanejou. Disse 'Wick saberia que estavas lá'".

Se Tim Allen quiser tentar levar da teoria à prática, a sequela de "John Wick" chega aos cinemas a 21 de maio de 2021.

VEJA O MOMENTO DA ENTREVISTA.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.