O ator italiano Mario Girotti, mais conhecido como Terence Hill, estrela do "spaghetti western" dos anos 70, juntamente com Bud Spencer, festeja 80 anos esta sexta-feira e ainda em primeiro plano graças ao seu papel como um padre que investiga crimes na série "Don Matteo", que começou em 2000 e já passou os 200 episódios.

No entanto, ficou imortalizado pelos divertidos filmes ambientados num Velho Oeste todo inventado ao lado do seu parceiro Bud Spencer.

"Nunca fomos substituídos porque foi um encontro mágico, que funcionava e nunca soubemos explicar o porquê", declarou Hill numa entrevista sobre a parceria de anos, para a qual usaram pseudónimos anglo-saxões.

Spencer, que morreu em 2016, e Hill alcançaram muitos sucessos em todo o mundo desde que lançaram o filme "Lo chiamavano Trinità" ("Trinitá - Cowboy Insolente") em 1970.

"Sempre que entrava em cena com o Bud, transformava-me e acredito que isso também acontecia com ele", comentou.

Terence Hill ainda tem o mesmo olhar tranquilo transmitido pelos seus olhos azuis e sorriso malicioso do cowboy audacioso que o caracterizavam nas 19 comédias cheias de lutas que protagonizou com Spencer.

Nascido em Veneza em 1939, de mãe alemã e pai italiano, o jovem Mario Girotti passou os seus primeiros anos na Saxónia antes de se estabelecer no fim da Segunda Guerra Mundial na Umbria, a região da família do seu pai, no centro da península.

Já em Roma com a sua família, apenas com 12 anos, iniciou a sua carreira com o cineasta italiano Dino Risi  que lhe ofereceu um papel no filme "Vacanze col gangster".

A seguir, estudou Literatura na Universidade de Roma durante três anos, após os quais decidiu ir para a escola de formação do Actors Studio nos Estados Unidos.

Os seus primeiros papéis foram sob a direção de Mauro Bolognini e Vittorio De Sica.

Em 1963, a sua carreira tomou um rumo decisivo graças ao mestre Luchino Visconti, que o contratou para um pequeno papel no lendário filme "Il gattopardo" ("O Leopardo"), com Burt Lancaster, Alain Delon e Claudia Cardinale.

Depois de passar vários anos na Alemanha, o ator filmou "Dio Perdona... Io No!" ("Deus Perdoa... Eu Não!", 1967), onde conheceu a sua futura esposa, a atriz americana de origem alemã Lori Zwicklbauer, e o seu compatriota Carlo Pedersoli, o verdadeiro nome de Bud Spencer.

Socos e feijões

"Fui para substituir um ator que tinha lesionado um pé. Cheguei ao set, onde tínhamos que brigar, e foi durante essa cena que Bud inventou o golpe do punho de cima para baixo, como se estivesse a martelar a cabeça, que ninguém tinha visto num filme", lembrou Terence Hill.

"O nosso relacionamento nasceu naquela época, foi crescendo e nós nunca nos zangámos", conta o ator, que, de acordo com a sua filmografia, já trabalhou em 80 filmes.

Com os seus nomes "hollywoodianos", Bud Spencer e Terence Hill conquistaram o público e, graças a esses filmes de grande sucesso de bilheteira, tornaram-se amigos inseparáveis.

Terence Hill também participou em trinta filmes a solo, incluindo "O Meu Nome É Ninguém" (1973) com Henry Fonda e dirigiu outros, entre eles "Lucky Luke" (1991).

Depois de um hiato de 10 anos devido a uma depressão após a morte do seu filho adotivo num acidente de carro, Terence Hill retornou em 2000 para ser a estrela da série de TV italiana "Don Matteo", na qual interpretava um padre de uma pequena cidade italiana que investiga crimes: começou em 2000 e vai em 11 temporadas e 245 episódios até 2018.

A série de sucesso foi exportada para a América Latina, França e Alemanha.

Em 2018, Terence Hill também regressou aos cinemas como ator e realizador com "My Name Is Thomas", um filme rodado em Almeria, onde conheceu o seu velho amigo Bud Spencer há 50 anos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.