A informação foi avançada à Inforpress pelo director do CCPM, João Branco, que assegurou estarem agora criadas “todas as condições” para se realizar a 13ª edição deste evento, que conta a curadoria do cineasta Rui Simões e com a maioria dos filmes em estreia no território cabo-verdiano.

O ciclo de cinema vai apresentar cinco filmes de países lusófonos e estrangeiro e, desta vez, realiza-se não no centro, mas na Academia Livre das Artes Integradas do Mindelo (ALAIM), que permite ter muito mais espaço para o distanciamento social.

João Branco garantiu estarem garantidas outras medidas sanitárias como álcool gel para higienização das mãos logo à entrada e o uso de máscaras.

A mostra Maio Doc é composta pelo “Kmedeus” de Nuno Miranda (Cabo Verde), “Elinga” de Paulo Azevedo (Angola), “A Dança das Máscaras” de Sara Gouveia (Portugal/África do Sul), “Via Cipriano” de Lea Schedule (Itália/Alemanha) e “To Sama” de Waad Al-Kateab, Edward Watts (Síria).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.