As receitas de bilheteira na China já pagaram o que custou "Aquaman".

Em exibição naquele país desde 7 de dezembro, as receitas vão no equivalente a 189,2 milhões de dólares [166,8 milhões de euros].

Sem dados oficiais do estúdio, os analistas estimam que foram gastos entre 160 e 200 milhões no filme [141 a 176,3 milhões de euros].

Liderado por Jason Momoa, "Aquaman" é já o maior sucesso do universo cinematográfico da DC Comics na China.

Nos primeiros dez dias, deixou ainda para trás todos os filmes protagonizados por qualquer herói da Marvel e dentro do género, apenas tem à frente "Vingadores: Era de Ultron" (240 milhões de dólares), "Venom" (267 milhões) e "Vingadores: Guerra do Infinito" (359 milhões).

As receitas têm de ser dividido por várias partes e é necessário adicionar os custos de marketing, o que obriga "Aquaman" a conseguir pelo menos 480 milhões para o estúdio começar a ter lucro com o investimento.

Ninguém tem dúvidas que isso irá acontecer: com a exibição em 28 países já a ter rendido 261,4 milhões, já é considerado um sucesso comercial ainda antes de chegar aos EUA esta sexta-feira.

Em Portugal, a estreia ficou em primeiro lugar, com 74.162 bilhetes vendidos, com quase 443 mil euros de receitas.

Com a pré-venda de bilhetes "online" nos EUA a superar a procura de "Vingadores: Guerra do Infinito" e "Black Panther", os analistas acreditam que existe a possibilidade de "Aquaman" conseguir chegar aos 100 milhões de dólares entre 21 e 25 de dezembro.

VEJA O TRAILER.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.