A informação foi dada hoje à Inforpress, pela realizadora Samira Vera Cruz, tendo afirmando que este filme, de 15 minutos, serve para mostrar a realidade dessas mulheres e visa ainda mobilizar recursos para a filmagem de uma longa-metragem com este tema em Moçambique.

“O documentário é o primeiro passo de um projeto que visa mostrar a vida de algumas mulheres cabo-verdianas que emigraram para Moçambique há mais de 60 anos.

A dona Conceição e a dona Joaninha espelham uma geração que fugiu da fome, abandonando sonhos, família, amigos e tanto mais”, disse.

A ideia de lançar o filme, nas redes sociais, justificou, é pelo facto de querem partilhar essas experiências com a diáspora cabo-verdiana.

Paralelamente a esta curta-metragem, disse que neste momento estão a trabalhar na pré-produção da próxima longa metragem, intitulada “E quem cozinha?”.

Este filme, informou, segue a história de uma jovem invisual e aborda a questões de género e a desigualdade social.

Sem avançar muito, Samira Vera Cruz informou que ainda para este ano há possibilidade de fazer uma coprodução com uma colega de Moçambique, num novo projeto.