Steven Spielberg, realizador dos filmes mais populares do mundo, que renderam mais de 10 mil milhões de dólares, foi um dos grandes opositores ao Óscar para o "filme mais popular".

Foi a 8 de agosto que a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas anunciou uma mudança radical nos Óscares com a criação da nova categoria, cujas regras seriam anunciadas mais tarde.

A decisão fora tomada pelo Conselho de Governadores, que reúne 54 representantes de todos os ramos da organização (atores, realizadores, etc) e o comunicado da organização salientava que o objetivo era "manter os Óscares e a Academia relevantes num mundo em mudança".

Só que a nova categoria existiu apenas 29 dias: a 6 de setembro, a organização cancelou-a "temporariamente", reconhecendo que precisa ser mais estudada internamente após as reações negativas da comunicação social, espectadores e personalidades dentro da própria indústria.

De "decisão preguiçosa" às críticas pela criação de uma categoria de "gueto", como se os filmes populares não fossem suficiente bons para serem nomeados ou ganharem Óscares, ou considerar a categoria um pretexto para dar um prémio a "Black Panther", atores, jornalistas e fãs incendiaram as redes sociais.

Segundo o New York Times, a tensão foi grande durante a discussão do tema na última reunião do Conselho de Governadores antes de ser anunciada a espantosa reviravolta e dois membros destacaram-se no grupo da oposição.

"Alguns membros, incluindo John Bailey, o presidente da organização, manifestaram apoio à categoria durante a reunião, enquanto outros, incluindo a atriz Laura Dern, categoricamente se oposeram, de acordo com dois membros, que falaram sob anonimato", de acordo com o jornal.

As mesmas fontes dizem que Steven Spielberg deu força à fação da oposição por causa do seu poder de influência gigantesco, ao manifestar o seu incómodo com os planos para introduzir a nova categoria já para os próximos Óscares, que acontecem a 24 de fevereiro.

Já após a reviravolta, John Bailey explicou que a ideia falhou porque não foi bem explicada logo de início, causando assim as reações negativas.

Apesar da Academia dizer que a nova categoria está suspensa para ser mais estudada, ele reconheceu que vai ser preciso esforço a sério na organização para a reavivar e isso não acontecerá certamente ainda no seu mandato, que termina no verão de 2019.