A empresa Polich Tallix Fine Art, com sede no estado de Nova Iorque, foi contratada para restaurar as características mais subtis da estatueta, criada pelo escultor George Stanley com base em desenhos de Cedric Gibbons, diretor de arte do estúdio Metro-Goldwyn Mayer.

Foram realizadas radiografias digitais e, de seguida, um molde especial foi impresso em 3D.

O próximo passo foi dar forma com cera às estatuetas que serão entregues no próximo domingo, no Teatro Dolby, em Hollywood.

Todas foram preparadas a uma temperatura de 870 graus e, de seguida, cobertas de bronze a mais de 980 graus.

Uma vez arrefecidas e polidas, foram banhadas a ouro de 24 quilates para dar o toque final.

No total, foram necessários três meses para fazer cinquenta peças, explicou a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

O Óscar mede 34,2 cm e pesa 3,8 kg, tem os braços cruzados e segura uma espada sobre um rolo de filme.

Uma das maiores lendas à volta do troféu é a do seu nome, tão comum como marcante e mítico. Os especialistas dizem que foi a responsável pela biblioteca da Academia, Margaret Herrick, que deu o nome devido à forte semelhança que via no boneco com o seu tio Óscar.

O nome ter-se-á espalhado como pólvora pelos corredores de Hollywood, até ter chegado aos ouvidos do editor Sidney Skolsky, que o citou num texto de 1934 sobre o triunfo de Katherine Hepburn como Melhor Atriz por "Morning Glory". Contagiada, a Academia decidiu adotar oficialmente o nome em 1939.

Hepburn é, com quatro prémios, a atriz que mais Óscares ganhou. É seguida por Ingrid Bergman, Walter Brennan, Daniel Day-Lewis, Jack Nicholson e Meryl Streep, todos com três.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.