"Black Panther" recebeu um apoio público de peso na corrida para os Óscares: Oprah Winfrey.

Na presença dos atores Chadwick Boseman, Michael B. Jordan e Daniel Kaluuya, o realizador Ryan Coogler, o presidente da Marvel Kevin Feige e o próprio presidente da Disney Bog Iger, a lenda do entretenimento emprestou a sua considerável credibilidade ao filme durante uma festa privada para a qual foram convidados mais de 100 votantes da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

Como recorda o The Hollywood Reporter, Oprah Winfrey podia ter usado o seu estatuto para beneficiar outros filmes que lidam com temas raciais, como são os casos de "BlacKkKlansman: O Infiltrado", "Green Book", "If Beale Street Could Talk" ou "Viúvas", entre outros.

No entanto, a escolha foi "Black Panther", que descreveu como "maior do que um filme", um momento de mudança para Hollywood e um "acontecimento cultural".

"Todos soubemos – todos os que viemos dessa cultura e história – o quão iluminado foi. Simplesmente deu-nos vida! Deu-nos vida! Mas foi tão poderoso para todos que o viram porque sabíamos que era maior do que este momento", descreveu.

Atualmente existem 7902 membros da Academia com direito a voto nos Óscares, pelo que resta agora descobrir se o "efeito Oprah" irá beneficar ainda mais "Black Panther".

As nomeaçõs serão anunciadas a 22 de janeiro e a cerimónia terá lugar a 24 de fevereiro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.