Will Smith não voltará a ser Deadshoot na sequela de "Esquadrão Suicida", avançou a imprensa especializada nos EUA.

O ator não estava contratualmente contratualmente a regressar, mas a saída terá sido amigável e deveu-se a questões de agenda: vai começar a rodar a sequela de "Bright" para a Netflix em julho e o início da produção do filme de super-heróis está marcado para setembro.

O realizador será James Gunn, que fez dois "Guardiões da Galáxia" antes de ser despedido em julho do ano passado pela Disney quando ressurgiram alguns "tweets" ofensivos que o cineasta tinha publicado em 2009 e 2010.

O primeiro filme, de 2016, andava à volta de criminosos como Deadshot, Harley Quinn, Joker, Boomerang e Killer Croc, forçados a trabalhar para o governo americano em troca de penas de prisão mais leves.

Além de Will Smith, estavam no elenco Jared Leto, Margot Robbie, Joel Kinnaman, Viola Davis, Jai Courtney, Jay Hernandez, Adewale Akinnuoye-Agbaje, Ike Barinholtz, Scott Eastwood e Cara Delevingne.

Fontes em Hollywood avançam que "The Suicide Squad", como atualmente se chama o projeto, não é visto como uma sequela, mas um "relançamento" que irá noutra direção com personagens e atores maioritariamente novos que terá a mesma "vibração" que James Gunn colocou nos filmes da Marvel. A estreia está marcada para 6 de agosto de 2021.

Não há informações sobre o elenco, mas a intenção do estúdio é que Margot Robbie volte a ser Harley Quinn. A atriz já vai repetir o papel da namorada do Joker em "Birds of Prey", que estreia a 7 de fevereiro de 2020.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.