Julianne Moore foi despedida do filme que colocou Melissa McCarthy entre as cinco finalistas deste ano para o Óscar de Melhor Atriz. E tudo aconteceu apenas alguns meses após a própria Julianne Moore ter ganho a estatueta por "Still Alice" em fevereiro de 2015.

Lançado diretamente em VOD em Portugal, "Can You Ever Forgive Me?" conta a história de Lee Israel, uma falsificadora de cartas de escritores famosos. Aclamado pelos críticos, houve ainda nomeações para Ator Secundário (Richard E. Grant) e Argumento Adaptado.

A versão que circulava é que o projeto veio abaixo a seis dias de começar a rodagem porque existiram "diferenças criativas" entre Julianne Moore e a realizadora e co-argumentista Nicole Holofcener.

"Não abandonei esse filme, fui despedida. Sim, a Nicole despediu-me", revelou no programa "Watch What Happens Live!" em resposta à pergunta de um espectador.

"Acho que ela não gostou do que estava a fazer", justificou, antes de esclarecer que tudo realmente aconteceu antes da rodagem, durante os ensaios.

"Acho que a ideia dela sobre a personagem era diferente da minha e portanto ela despediu-me", reforçou.

A decisão de julho de 2015 acabou por afetar profundamente o projeto pois a própria Nicole Holofcener descreveu o que aconteceu como "traumático" e "terrível".

Sentindo que já tinha feito o filme após tomar todas as decisões criativas, preferiu afastar-se quando o estúdio lhe pediu para esperar e recomeçar de novo, sugerindo que Marielle Heller a substituísse.

Quase um ano mais tarde, entrou Melissa McCarthy, mas apesar de ser uma grande admiradora do seu talento, Julianne Moore diz que ainda não viu o filme porque a experiência "ainda é algo dolorosa".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.