Uma das histórias de rejeições mais famosas de Hollywood é a de Will Smith ter dito não a "Matrix".

No entanto, o produtor Lorenzo Di Bonaventura contou que outros nomes podiam ter sido Neo antes de se chegar a Keanu Reeves pois o estúdio Warner Bros. queria mesmo uma grande estrela para compensar a falta de experiência na realização dos (então) irmãos Wachowskis.

A grande revelação é que a parceira do ator em "Speed" podia ter sido Neo: até agora, a única história que se conhecia de Sandra Bullock e "Matrix" era a de que se arrependia de não ter aceite o papel de Trinity, que foi para Carrie-Anne Moss.

"Fomos a tantas pessoas que nem me lembro. Estávamos a fizer desesperados. Fomos à Sandy [Sandy] Bullock e dissemos 'Vamos mudar o Neo para uma rapariga'. [O produtor] Joel Silver e eu trabalhámos com a Sandy em 'Homem Demolidor' e ela era e continua a ser uma boa amiga minha. Era bastante simples. Enviámos-lhe o argumento para ver se estava interessada. E se estivesse tentaríamos fazer a mudança", recordou ao The Wrap a propósito do filme que festeja os 20 anos da estreia este domingo.

"Simplesmente não era uma coisa para ela naquela altura, Portanto, não foi a lado nenhum", acrescentou.

Lorenzo Di Bonaventura também afirmou que, na maioria das vezes, o processo de "casting" acaba conduzir à escolha certa. O que, no caso de "Matrix", demorou bastante tempo.

O produtor indicou que Brad Pitt foi o primeiro a dizer que sim e depois recuar por estar extremamente cansado após a rodagem de "Sete Anos no Tibete".

A seguir, Leonardo DiCaprio também aceitou, mas acabou por dizer que não podia fazer outro filme de efeitos visuais logo a seguir a "Titanic".

Seguiu-se a rejeição de Will Smith, que num vídeo colocado no seu YouTube em fevereiro, reconheceu ter sido uma decisão péssima, mas recordou que o encontro com os Wachowskis.

"Eles vieram e só tinham feito tipo um filme – acho que se chamada 'Bound - Sem Limites' [1996] – e fizeram uma apresentação para 'Matrix'. E como se constata, eles são génios, mas existe uma linha ténue numa apresentação entre génios e a minha experiência no encontro", explicou.

Will Smith também garantiu que teria sido um filme diferente: "Se o tivesse feito, porque sou negro, então o Morpheus não teria sido negro, porque estavam interessados no Val Kilmer".

Di Bonaventura confirmou Val Kilmer, mas acrescentou que Arnold Schwarzeneger e Michael Douglas também recusaram.

"A boa notícia foi, o Keanu disse sim e ele foi espantoso", continuou.

Mas nem assim a Warner Bros. ficou mais descansada: isso só aconteceu quando o produtor arranjou mais parceiros financeiros para diminuir o risco para o estúdio e entraram Laurence Fishburne, Carrie-Anne Moss e Hugo Weaving (como o Agente Smith).

O resto é história: o filme de ficção científica acabou por ser um grande sucesso de bilheteira e revolucionou o género. E a conta bancária de todos os que entraram ficou mais recheada com as duas sequelas.