Quando não está ocupado a salvar o mundo como Capitão América, Chris Evans anda pelas redes sociais. E ao contrário de outros atores que estão nos filmes mais caros e vistos por milhões de espectadores, não se coíbe de usá-las para arrasar Donald Trump.

Um dos comentários mais recentes e diretos foi sobre as alterações climáticas: "Ou você AINDA não percebe que o tempo não é o clima, apesar de literalmente toda a gente lhe explicar isso sempre que escreve essa ignorância, ou simplesmente não quer saber e está deliberadamente a enganar os seus apoiantes. Qual deles é que é?"

O empenho político não fica por aí e existe mesmo a intenção de avançar com um "site" político, ainda sem data de lançamento anunciada, "para criar cidadãos informados, responsáveis ​​e empáticos".

Nestes tempos extremados, criticar o atual presidente dos EUA tem o potencial para ofender ou mesmo fazer desaparecer, ao jeito de Thanos, metade dos seguidores, mas para o ator esta é mesmo uma questão cívica.

"Ficaria desiludido comigo mesmo se ficasse calado", afirmou durante uma longa entrevista ao The Hollywood Reporter.

Curiosa foi a reação da Marvel, que Evans garante que nunca o tentou desencorajar de partilhar as suas convicções políticas, principalmente por causa do simbolismo do Capitão América.

"A Marvel nunca disse nada. Pelo contrário, quando encontro o Kevin Feige, a primeira coisa que sai da boca dele é, ‘Adoro o que andas a fazer [no Twitter]'", revelou.

O presidente da Marvel confirmou isto no mesmo artigo e chegou a comparar a postura do ator à da personagem que interpreta.

"Não acho que ele esteja a ser insultuoso. Vejo-o como algo muito astuto, muito honrado, muito nobre, muito digno do Capitão América. Comentar e interrogar. Já lho disse, 'Estás a fundir-te! Tu e a personagem estão a fundir-se!", contou Kevin Feige.

Chris Evans irá despedir-se da personagem com "Vingadores: Endgame", que chega aos cinemas portugueses a 25 de abril.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.