Martin Scorsese faz 75 anos esta sexta-feira (17) e vale a pena recuperar uma história que se tornou mitológica mas de que resultou uma grande prenda para os mais cinéfilos.

Há vários anos, Colin Levy, um jovem cineasta norte-americano, teria escrito ao realizador para lhe perguntar que filmes não americanos devia ver para alargar os seus horizontes cinéfilos. Para sua surpresa, recebeu resposta: um cartão com o logótipo da produtora do realizador, Sikelia Productions, assinado por uma assistente, e uma lista de 39 títulos.

Como apareceu na rede de publicações sociais Reddit, a autenticidade da lista era disputada até ter sido republicada pela Cinephilia & Beyond a 19 de agosto de 2014 e Colin Levy reencaminhá-la pouco depois via Twitter, o que foi interpretado como a confirmação oficial.

Na verdade, a história é diferente e foi relatada pelo próprio Levy em 2012: em 2006, tendo estava no liceu, fez uma curta-metragem de cinco minutos que acabou por ganhar um prémio nacional e quando estava na cerimónia em Nova Iorque, informaram-no com duas horas de antecedência que tinha um encontro marcado com Martin Scorsese. Foi recebido por Thelma Schoonmaker, que Levy não fazia ideia quem era (trata-se da montadora dos filmes do realizador), e lhe fez uma visita guiada pelas instalações. A conversa foi basicamente um monólogo dominado pelo hiperativo cineasta, muito interessado em saber como Levy tinha lidado com a animação em 3D.

Umas semanas mais tarde, o jovem escreveu um cartão a agradecer, confessando que tinha ficado com a «esmagadora impressão de não saber o suficiente sobre o que quer que seja», principalmente sobre a história do cinema e os filmes não-americanos, e perguntando se tinha algumas sugestões. Decorridas mais algumas semanas, uma assistente enviou-lhe não só a lista que voltou a ganhar vida nos últimos dias, mas também livros e DVDs, incluindo o famoso  documentário "Martin Scorsese – Uma Viagem Pelo Cinema".

Apesar das versões diferentes para a sua origem, vale a pena partilhar a lista de 39 filmes, que tudo indica ter sido feita de memória: os títulos estão principalmente em inglês, mas também existem de origem, sem mais informações, pensados por países (quatro: Alemanha, França, Itália e Japão), procurando respeitar uma ordem cronológica exceto quando se lembrou de outro título incontornável.

Atualmente, Colin Levy trabalha na Pixar. Confira o que é incontornável nesta nova viagem de Scorsese pelo cinema...

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.