Sob o lema "Lugar de Mulher é no Cinema", acontece nos dias 5 e 6 de março, na Cidade da Praia, a primeira mostra de filmes dirigidos por mulheres intitulada CENA, uma iniciativa da jornalista e escritora Chissana Magalhães.

Com um logo desenhado por uma jovem designer cabo-verdiana, a Katya Modesto, de nome artístico Iyomi Ashira, nesta edição, a CENA tem por “ambição estimular a produção cinematográfica e audiovisual de autoria feminina” e será acolhida pela Escola de Negócios e Governação da Universidade de Cabo Verde (ENG), no Palmarejo, nos dias 5 e 6 de março.

A escolha do local não acontece por acaso já que a organização espera que haja “uma expressiva adesão da população académica, estudantes e professores”, mas também de todos aqueles que se interessam pelo cinema e pelo cinema contemporâneo cabo-verdiano, em particular, pelas temáticas ligadas à Igualdade e Equidade de Género e pelo fazer artístico, em geral”.

O evento vai contar com a exibição de filmes dirigidos por oito mulheres: Artemisa Ferreira, Celeste Fortes, Chissana Magalhães, Claire Andrade-Watkins, Denise Fernandes, Grace Ribeiro, Lolo Arziki e Samira Vera-Cruz. Com exceção da Celeste Fortes e da Claire Andrade-Watkins, a homenageada desta edição, todas as realizadoras vão marcar presença no evento.

Já a jornalista e produtora Emília Wojciechowska vai participar nas sessões de debates no auditório da ENG que, segundo Chissana Magalhães, vão discorrer sobre temas como: a presença das mulheres no meio cinematográfico, a representação nos filmes das mulheres cabo-verdianas no cinema, entre outros.

“O evento quer provocar e estimular mais mulheres a fazer filmes”, explica a organizadora da mostra e acrescenta que é também importante refletir sobre que filmes são esses (dirigidos por mulheres), quais os papéis da mulher na produção audiovisual, bem como abordar temáticas como teste de Bechdel, "que através de três regras básicas analisa se um filme traz personagens mulheres fortes e participativas, e questiona se a participação feminina faz diferença no enredo de filmes", etc.

Garante ainda que não seja possível falar numa indústria do cinema em Cabo Verde que esta é uma área que está a criar emprego. “Não queremos que as mulheres fiquem de fora desta fonte de rendimento. Não só o cinema, mas o audiovisual no geral “.

A primeira edição da CENA pretende homenagear a cineasta veterana Claire Andrade-Watkins, que é neta de cabo-verdianos e que aborda temas ligados a Cabo Verde nas suas obras. Uma escolha que surge “pelo percurso da Claire Andrade-Watkins, pelos conteúdos dos seus filmes e pela ligação que a cineasta faz questão de manter com o país”.

“Com alguma tristeza constatamos que ela não poderá estar presente”, lamenta Chissana Magalhães, mas salienta que a ambição do evento, que se pretende que seja anual, é crescer para ter mais apoios financeiros.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.