Ainda sem os números finais contabilizados, Rui Pereira, um dos directores do Festival Internacional de Cinema Independente de Lisboa, reconheceu ontem que, este ano, houve uma diferença nas contas do Indie: o público foi ver mais filmes portugueses. A afluência às sessões de produções nacionais representa cerca de um terço dos bilhetes comprados para o festival, ou seja, e ainda sem um número preciso, cerca de dez mil espectadores.

Pois, na facção portuguesa a competição no certame, o grande vencedor da noite foi Manuel Mozos, cujo documentário,
«Ruínas», venceu o prémio TOBIS para Melhor Longa-metragem Portuguesa. Já o grande prémio do festival, escolhido por um júri composto, entre outros, pela actriz e realizador Inês de Medeiros e o director do Festival de Cinema de Veneza, Marco Müller, foi para
«Ballast», a primeira obra do realizador norte-americano Lance Hammer, sobre uma família silenciosa a tentar sobreviver no Delta do Mississippi.

Porque o Indie também dá grande atenção às curtas-metragens, foram distinguidos com o Grande Prémio de Curta-metragem e o Prémio para Melhor Curta-metragem Portuguesa respectivamente,
«Kempinski», de Neil Beloufa, e
«Arena», do português João Salaviza.

Quantos aos votos dos que se julgam ser cerca de 37 mil espectadores em romaria pelo Indie na última semana e meia, recaíram sobre
«L’encerclement», nas longas-metragens, e sobre o português
«Visita Guiada», um documentário que ironiza a forma como vários guias turísticas apresentam Portugal aos estrangeiros que por cá passam.

E se os directores sublinham que, para fazer o Indie Lisboa foram precisos «muito trabalho, algumas lágrimas e algum sangue», as dificuldades parecem passar ao lado do público que ontem voltou a encher o Cinema São Jorge para conhecer os premiados. O balanço é, para já, «positivo» mas Domingo ainda é dia para ver filmes premiados já que o festival só termina esta noite.

Palmarés Indie 2009

Grande Prémio de Longa Metragem “Cidade de Lisboa”

Ballast, de Lance Hammer

Prémio TOBIS para Melhor Longa Metragem Portuguesa

Ruínas, de Manuel Mozos

Prémio de Distribuição

Jalainur, de Zhao Ye

Grande Prémio de Curta Metragem

Kempinski, de Neil Beloufa

Menção Honrosa

It's Nick's Birthday
Bernadette

Prémio para Melhor Curta Metragem Portuguesa

Arena, de João Salaviza

Prémio RESTART para Melhor Realizador Português de Curta Metragem

Pássaros, de Filipe Abranches

Prémio Novo Talento FNAC

Visionary Iraq, de Gabriel Abrantes

Prémio de Melhor Imagem para Curta Metragem Portuguesa AIP

Para o director de fotografia de Alasca,
Paulo Menezes

Prémio RTP2 Onda Curta

Tierra y Pan, de Carlos Armella

The Herd, de Ken Wardrop

Dix, de BIF

Ballad of Marie Nord and Her Clients, de Alexander Onofri

2 Birds, de Runar Runarsson

Prémio FIPRESCI

The Happiest Girl in the World, de Radu Jude

Prémio Amnistia Internacional

Los Herederos, de Eugenio Polgovsky

Menção Honrosa

L'encerclement, de Richard Brouillette

D’Arusha à Arusha

Prémio Revista Pais & Filhos para o Melhor Filme IndieJúnior

O Peso das Pedras, de Hanne Larsen

Menção Honrosa

Ex-E.T, de Benoit Bargeton

Prémio do Público Johnnie Walker para Melhor Longa Metragem

L'encerclement, de Richard Brouillette

Prémio do Público Johnnie Walker para Melhor Curta Metragem

Visita Guiada, de Tiago Hespanha

Prémio do Público Revista Pais & Filhos para o Melhor Filme IndieJúnior

Sem Rede, de Ari Kristinsson

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.