A sua interpretação de Joker no filme
O Cavaleiro das Trevas tem ganho literalmente todos os prémios que há a ganhar nesta categoria e a verdade é que, mesmo que o actor não tivesse morrido a 22 de Janeiro de 2008, ainda antes da própria estreia da película em questão, a excelência da sua interpretação mereceria sempre um lugar de honra entre os cinco nomeados.

Ledger foi um actor australiano que conseguiu ultrapassar a sua condição de «sex symbol» louro e pouco expressivo e reinventar-se como grande actor dramático, em papéis arrojados que lhe valeram os mais rasgados louvores da crítica.

Quando morreu aos 28 anos (de forma acidental, devido à combinação e sobredosagem letal de medicamentos)
Heath Ledger já não era uma promessa mas sim uma certeza, um dos melhores actores da sua geração.

Os seus primeiros trabalhos faziam uso quase exclusivo da sua extrema beleza física para consumo das audiências adolescentes.

O Patriota, como filho de Mel Gibson, deu-lhe reconhecimento internacional, juntamente com a comédia adolescente
10 Coisas que Odeio em Ti .

Seguiu-se o musical medieval
Coração de Cavaleiro e o filme de época
As Quatro Penas Brancas, mas a sua imagem só começou a mudar com o impressionante papel secundário que interpretou em
Monster’s Ball – Depois do Ódio.

Ned Kelly e
Os Irmãos Grimm confirmaram esse estatuto mas a grande consagração do seu talento chegou em 2005, com o «cowboy» homossexual que interpretou em
O Segredo de Brokeback Mountain, pelo qual foi nomeado ao Óscar de Melhor Actor.

O toxicodependente de «Candy», logo a seguir, só veio reafirmar a extensão do seu talento e da sua capacidade de risco.

Heath Ledger morreu após as filmagens de
O Cavaleiro das Trevas e a meio da rodagem de
«The Imaginarium of Dr. Parnassus», de Terry Gilliam, tendo sido a sua personagem reconceptualizada para fazer face à sua ausência, com
Johnny Depp,
Jude Law e
Colin Farrell a interpretarem partes do seu papel.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.