"Glass" foi o filme mais visto nos EUA e a nível internacional este fim de semana, o que faz dele o primeiro grande sucesso de bilheteira de 2019.

Realizado por M. Night Shyamalan, "Glass" é tanto uma sequela de "Fragmentado" (2000), com Bruce Willis e Samuel L. Jackson, como de "Fragmentado" (2017), com James McAvoy.

Nos EUA, as receitas no chamado fim de semana de quatro dias de Martin Luther King Jr. chegaram aos 47 milhões de dólares [41,35 milhões de euros] e são a terceira melhor estreia de janeiro, a seguir a "Sniper Americano" (107 milhões) e "Ride Along / Polícia em Apuros" (48 milhões).

Trata-se de valor sólido para um título que custou apenas 20 milhões, mas ficou ligeiramente abaixo do que esperava o estúdio Universal e a maioria dos analistas, que antecipavam ainda mais por causa do estatuto de culto do primeiro filme e o surpreendente sucesso de "Fragmentado".

As reações pouco entusiásticas de críticos e dos primeiros espectadores terão contribuído para esfriar as expectativas, mas sondagens indicam que 65% dos espectadores americanos tinham mais de 25 anos, o que significa que os fãs de "O Protegido" compareceram em força para a conclusão da trilogia.

A nível internacional, "Glass" conseguiu 48,5 milhões de dólares [42,67 milhões de euros] e terminou com o domínio das últimas semanas de "Aquaman" e "Bumblebee" (sexto título da saga "Transformers").

Está também a portar-se melhor nas bilheteiras do que o segundo filme em vários mercados.

Um deles é Portugal: "Fragmentado" foi visto por 23920 espectadores  em 46 salas nos primeiros quatro dias de estreia em fevereiro de 2017 (quase 129 mil euros) e "Glass" chegou agora aos 46032 em 85 ecrãs (cerca de 259 mil euros).

VEJA O TRAILER DE "GLASS".