Com entrada livre e aberta ao público, a abertura oficial do Cabo Verde International Film Festival terá lugar no Centro Cultural de Santa Maria, pelas 19:00, onde será exibido o filme “Firmeza”, que se encontra em competição, um curto documentário de Paola Zerman (Cabo Verde).

Esta edição, que conta com a parceria do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, a Associação de Cinema e Áudio Visual de Cabo Verde, a Câmara Municipal do Sal, Hotel Odjo d’Água, e patrocínio do Hotel Morabeza e ASA, propõe exibir durante esses dias 15 filmes em simultâneo, a partir das 19:00, no Centro Cultural de Santa Maria e à beira-mar, no Hotel Odjo d’Água.

Dos 23 filmes inscritos, 16 foram oficialmente seleccionados e irão competir para os prémios de Melhor Longa-metragem, Melhor Longa-metragem Documentário, Melhor Curta-metragem, Melhor Curta-metragem Documentário, e o Prémio Parda.

Foram seleccionados 4 filmes em Longa-metragem, 3 Longa-metragem Documentário, 5 Curta-metragem e 4 Curta-metragem Documentário.

Em Longa Metragem, destacam-se os filmes “The Invisibles (Die Unsichtbaren – Wir Wollen Leben) | Claus Räfle (Germany), “No Mind”, | Chirag Desgiri (India), “We Don’t Live Here Anymore”,| “Tope Oshin” (Nigeria), e “Till Death, | Matt Eames (USA).

Já em Longa-Metragem documentário, os cinéfilos poderão apreciar “Bando, A Movie Of: (Bando, Um Filme De:) Lázaro Ramos & Thiago Gomes (Brasil), “Na Linha da Frente: Os Fiscais do Parque Nacional da Gorongosa | James Byrne & Carla Rebai (Moçambique), e “Kalunga” | Bernardo Gramaxo (Angola).

Em Curta Metragem “Vanilla”, Luas Estrella-Puig (República Dominicana), “ASSIA”| Malika Zairi (France), “We Will Live” | Pascal Pernix (Cayman Islands), Thirst (La Soif) | Franck A. R. Onouviet & Marc A. Tchicot (France), Heather Has Four Moms | Jeanette Buck (USA), são filmes que também vão deleitar os apreciadores da sétima arte.

Em Curta-metragem “Firmeza”, de Paola Zerman (Cabo Verde), e que abre a 9ª edição do Festival de Cinema na ilha do Sal, “Chidra” Nadav Harel (India), “The Northern Houses” Guy Bordin & Renaud De Putter (Belgium), “Not an Isolated Story (Não é um Caso Isolado), | Marta Pinheiro (Brasil), fazem igualmente parte do cardápio.

Realizado, anualmente, pela agência V!VA Imagens, o Festival Internacional de Cinema de Cabo Verde, como habitualmente, propõe uma programação para durante uma semana movimentar a ilha turística com um naipe “excepcional” de filmes.

O Prémio Parda, bem como os prémios de Melhor Curta-Metragem, Melhor Curta-Metragem Documentário, Melhor Longa-Metragem e Melhor Longa-Metragem Documentário são votados pelos membros do júri do festival, sendo os vencedores anunciados durante o encerramento do CVIFF.

À semelhança das edições anteriores, o evento visa congregar arte, cinema e indústria cinematográfica, através da exibição dos filmes inscritos, teatro, workshops, subordinados à arte do cinema, entre outras actividades.

Desde logo, a produtora executiva, Suely Neves, conta com uma boa adesão do público para engrandecer a votação do melhor trabalho cinematográfico.

Com cerca de 200 filmes já exibidos durante esses anos, desde 2010, ano do arranque do festival, organizado por um grupo de jovens cabo-verdianos/americanos, acredita-se que o Festival Internacional de Cinema vem ganhando a cada ano mais importância e interesse, permitindo a comunidade salense e não só, experimentar o poder do cinema.

Segundo a organização do evento, sendo Cabo Verde relativamente novo para o mundo da produção cinematográfica, lançar um festival internacional de cinema com um componente de competição “foi um desafio que valeu a pena”.