Chegou ao fim a jornada do primeiro alto responsável americano de origem asiática por um estúdio de Hollywood.

O diretor executivo da Warner Bros, Kevin Tsujihara, vai renunciar ao cargo após semanas de boatos à volta de um romance com uma jovem atriz britânica que teria ajudado a conseguir trabalhos, informou esta segunda-feira o grupo WarnerMedia.

"É do maior interesse da WarnerMedia, da Warner Bros., dos nossos funcionários e dos acionistas que Kevin renuncie como CEO da Warner Bros", escreveu o diretor geral da WarnerMedia, John Stankey.

"Kevin reconhece que os seus erros são incompatíveis com as expectativas de liderança da companhia e podem afetar a sua capacidade de desenvolvimento no futuro", declarou Stankey, sem citar diretamente o escândalo da sua alegada relação com a atriz Charlotte Kirk.

A comunicação social especializada americana revelara recentemente que Tsujihara, de 54 anos, e Kirk, de 26, começaram um romance em 2013 e o chefe da Warner Studios tentou usar a sua influência para conseguir papéis para a atriz.

No entanto, não teria sido muito bem sucedido, já que Kirk apareceu apenas em dois filmes produzidos pela Warner Bros, "Como Ser Solteira" (2016) e "Ocean´s 8" (2018), ambos os casos em papéis pequenos.

Os advogados de Tsujihara negaram formalmente uma intervenção da parte dele nas escolhas de elenco desses filmes. A atriz fez o mesmo e já manifestou a "profunda tristeza" pelo desfecho.

As acusações foram alvo de uma investigação interna da Warner, que ainda não anunciou quem irá substituir Tsujihara.

O CEO tinha acabado de receber novas responsabilidades após uma grande reorganização do antigo grupo Time Warner, adquirido pela gigante de telecomunicações AT&T e rebatizada de WarnerMedia.