Segundo Samira Vera Cruz, inicialmente não pensavam em inscrever os seus projetos neste festival, que já vai na sua 35ª edição, pois acreditavam que estes “não tinham qualidade suficiente” para entrar.

“Acredito muito nos nossos filmes, nos nossos projetos, mas é um festival que eu achava que ainda não estava no nosso alcance, então por coincidência esteve cá um dos representantes deste festival no Cine-Plateau que insistiu que eu enviasse o nosso filme”, contou, dizendo que enviou a candidatura com receio de que não seriam selecionados.

Entretanto, há poucos dias, recebeu um email que carimbava o passaporte de “Hora de Bai” para apresentação no Canadá, no dia 7 de abril.

Uma notícia que, para Samira Vera Cruz, é “surreal”, porque o seu projeto, com dois anos de caminhada, concorre com mais de 400 outros filmes.

Participar neste festival, para a mesma fonte, é uma “oportunidade única” de atingir este mercado africano que “os interessa e muito” e uma oportunidade de fazer contactos com realizadores e produtores de África e de países crioulos.

O filme “Hora di Bai”, disse, tem tido “bastante sucesso”, já com participações em festivais e mostras de cinema em diversas cidades de Cabo Verde, do Brasil, Angola, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Timor Leste, Portugal, Polónia, Bélgica, Madagascar, entre outros.

De destacar as passagens pelos festivais FESTin (em Lisboa, Portugal), Kugoma (em Maputo, Moçambique), Rencontres du Film Court (em Antananarivo, Madagáscar), Curtas Santos (Santos, Brasil), entre outros.

“As nossas próximas paragens serão New York e Macau”, informou.

O Festival Vues d’Afrique acontece de 5 a 15 de abril, em Montreal, Canadá.

Vues d’Afrique afirma-se como a organização de referência para a informação e a difusão de produções culturais em África, os países crioulos e as suas diásporas, em particular as produções audiovisuais em todas as plataformas atuais e emergentes, uma rede local e internacional.

Rumo a um novo olhar sobre a África, os países crioulos e as diásporas, através da divulgação de produções culturais, o Vues d’Afrique promove a diversidade cultural e reúne pessoas de todas as origens e países africanos e crioulos.