Os estúdios Walt Disney fecharam o ano de 2018 com uma bilheteira global de mais de 7 mil milhões de dólares [6,1 mil milhões de euros] graças a sucessos como "Black Panther" e "Vingadores: Guerra do Infinito".

A Disney informou esta segunda-feira que "esta foi a segunda vez na história que um estúdio de cinema superou a marca dos 7 mil milhões de dólares" em bilheteira, após o próprio grupo faturar 7,6 em 2016.

A bilheteira internacional - sem contar EUA e Canadá- "até 9 de dezembro somava 4,069 mil milhões de dólares, o segundo melhor ano da Disney e o terceiro da história da indústria".

O anúncio chega dias antes da estreia de "O Regresso de Mary Poppins" a 19 de dezembro nos EUA, sequela do clássico com Julie Andrews de 1964 que deve ser o filme de mais receitas no final de ano.

"Até esta data, quatro das oito maiores receitas de bilheteira mundiais em 2018 pertenciam à The Walt Disney Studios...", destaca o comunicado.

Apenas "Vingadores: Guerra do Infinito", da Marvel, propriedade da Disney, faturou 2 mil milhões de dólares em todo o mundo, seguido por "Black Panther", com 1,35 mil milhões.

"The Incredibles 2: Os Super-Heróis", da Pixar, também da Disney, arrecadou 1,240 mil milhões.

Outros sucessos deste ano foram "Homem-Formiga e a Vespa" e "Ralph vs Internet", com este último a liderar as bilheteiras nos EUA há três semanas consecutivas.

Nem tudo foram sucessos: as receitas desses filmes tiveram de compensar os também dispendiosos fracassos comerciais de "Uma Viagem no Tempo", "Han Solo: Uma História de Star Wars", "Christopher Robin" e "O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.