O espetáculo tem de continuar: após a cerimónia dos Óscares no domingo, muitos vencedores já estão a trabalhar nos próximos projetos.

"Green Book" ganhou o Óscar de Melhor Filme, mas os seus produtores e o realizador Peter Farrelly são dos poucos que não têm nada oficialmente para avançar.

Spike Lee, por exemplo, que ganhou a estatueta com o argumento adaptado de "BlacKkKlansman", não se queixou apenas da vitória de "Green Book" na noite dos Óscares: contou aos jornalistas que ia apanhar um avião na segunda-feira para a Tailândia, que vai fazer do Vietname para "Da 5 Bloods", o novo projeto à volta de veteranos afro-americanos da guerra que regressam para procurar os restos mortais de um camarada (no elenco estão Chadwick Boseman, estrela de "Black Panther", Delroy Lindo e Jean Reno).

Entre as estrelas, a mais ocupada é provavelmente Lady Gaga, galardoada pela canção "Shallow" de "Assim Nasce Uma Estrela": o seu espetáculo em Las Vegas, "Lady Gaga Enigma", começou no fim de dezembro de 2018 e o contrato é de dois anos. Também já está em sessões de gravação de um sexto álbum.

Spike Lee

Já o Óscar de Melhor Ator Rami Malek passou de Freddie Mercury em "Bohemian Rhapsody" para Elliot Alderson, na rodagem da quarta e última temporada da série de culto "Mr. Robot", que deverá ser exibida ainda este ano.

São persistentes os rumores de que poderá ser o próximo antagonista de James Bond no filme que marcará a despedida de Daniel Craig da personagem, o que pode ser inviabilizado pelos prazos: essa rodagem começa em abril. Mais certo é que surgirá como a voz de um gorila numa nova versão de "O Extravagante Dr. Dolittle" (1967) com Robert Downey Jr., que chegará aos cinemas em janeiro de 2020.

Já Olivia Colman claramente não foi prejudicada por falhar vários eventos de prémios relacionados com "A Favorita" por causa de "The Crown": a rodagem da série da Netflix onde é a nova Rainha Isabel II começou em julho do ano passado e está para durar porque a terceira e quarta temporadas serão feitas de seguida.

Apesar disso, há um novo filme, "Them That Follow", que começa a chegar aos cinemas em junho depois de se ter tornado um dos favoritos em janeiro no festival de Sundance.

Mahershala Ali não tem nada oficial após ganhar a segunda estatueta como secundário por "Green Book", mas deu a entender em entrevistas que há vários projetos em andamento com a HBO, para quem fez recentemente a terceira temporada de "True Detective".

O canal por cabo também será provavelmente o local onde se vai instalar Alfonso Cuarón após o triunfo com Roma" (Melhor Filme Estrangeiro, Realização e Fotografia) para escrever e realizar o muito secreto "Ascension" (fala-se que abordará o tema dos cultos religiosos), a que também está ligado o ator Casey Affleck.

Alfonso Cuarón

Regina King, vencedora como secundária por "Esta Rua Falasse", também andará pelo pequeno ecrã pois tem um papel numa série de dez episódios que será nova versão da novela gráfica "Watchmen" e terá como colegas Jeremy Irons e Louis Gossett Jr.

Os realizadores de "Homem-Aranha: No Universo Aranha", Óscar de Melhor Filme de Animação, também já têm trabalho: Bob Persichetti vai fazer uma sequela de "O Gato das Botas", Rodney Rothman vai escrever e realizar uma versão feminina de "21 Jump Street" ("Agentes Secundários" em Portugal) com Tiffany Haddish e provavelmente Awkwafina, e Peter Ramsey está ligado como produtor executivo a um novo projeto de animação chamado "Tailchaser’s Song".

Domee Shi, Óscar de Melhor Curta-Metragem de Animação com "Bao", irá continuar na Pixar: está a preparar a longa-metragem, sobre a qual não há detalhes, mas que deve chegar aos cinemas em 2022.

Noutra divisão da Disney vai manter-se o sueco Ludwig Göransson, Óscar de Melhor Banda Sonora por "Black Panther": estará ocupado com a música de todos os episódios da primeira série "Star Wars", intitulada "The Mandalorian".

E John Ottman, Óscar de Montagem por "Bohemian Rhapsody", disse ao The Hollywood Reporter que está à procura de um projeto para se estrear como realizador, deixando assim para trás a ligação com Bryan Singer, com quem trabalhava desde os tempos da escola de cinema e foi despedido perto do fim da rodagem, enfrentando agora novas acusações de violação de menores.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.