Após três anos de campanha nas redes sociais, os fãs vão ver a versão original de "Liga da Justiça" realizada por Zack Snyder, que terá sido muito alterada por interferências do estúdio Warner Bros. antes de chegar aos cinemas.

A 20 de maio, foi confirmado que a "versão de Snyder" vai chegar ao serviço de streaming HBO Max no ano que vem, após serem completados efeitos especiais, banda sonora e montagem. A operação vai custar mais 20-20 milhões de dólares e o que vai ficar disponível é uma versão de quatro horas ou uma minissérie de seis episódios.

Assim que se soube da notícia, David Ayer publicou um vídeo enigmático de Jared Leto como o Joker, no que foi interpretado como uma referência à existência de uma outra versão do seu "Esquadrão Suicida", o filme que juntou os criminosos da DC Comics. Os fãs foram rápidos a responder com a hashtag #ReleaseTheAyerCut [lancem a versão de Ayer].

"Esquadrão Suicida" foi um grande sucesso de bilheteira no verão de 2016, apesar das críticas negativas brutais: "estúpido, "sexista", "enredo confuso", "personagens caricaturais" e "realização instável" foram alguns dos epítetos que atingiram a adaptação da DC Comics nos Estados Unidos.

Mais tarde, soube-se que houve muitas interferências da Warner na fase da montagem, com cortes de partes das cenas e histórias de várias personagens.

Sempre muito ativo na interação com os fãs nas redes sociais, nos últimos dias o realizador começou por dizer que não lhe cabia tomar a decisão de lançar a sua versão e que adorava a Warner: "Foi sempre 'a minha casa', respeito totalmente e apoio a incrível jornada do Universo Cinematográfico DC que está a ser seguida graças à sua liderança.

"A minha versão de 'Esquadrão Suicida' pode vir sempre a ser apenas um rumor. E não há problema com isso", acrescentou.

Ainda assim, Ayer confirmou que existe a sua versão e até deu a entender que não precisa de tantos retoques como a "versão de Snyder" de "Liga da Justiça": "Está quase completa, menos uns efeitos visuais".

Nas últimas horas, o realizador assumiu claramente a posição após um fã comentar que a versão que existe de "Esquadrão Suicida" não é a que David Ayer queria lançar e que a popularidade do género dos super-heróis é um argumento forte para que possa ver a luz do dia na HBO Max e valorizar a plataforma.

"A minha versão seria fácil de concluir. Seria incrivelmente catártico para mim. É cansativo apanhar pancada por um filme que recebeu o tratamento 'Eduardo Mãos de Tesoura'. O filme que fiz nunca foi visto", explicou.

No início de 2017, David Ayer também assumiu a frustração com a versão que chegou aos cinemas e que gostava de ter uma máquina do tempo para fazer alterações: "Teria feito o Joker o vilão principal e criado uma história mais focada. Tenho de aceitar o bom e o mau e aprender com isso. (...) Da próxima vez tenho de dar às personagens as histórias e enredos que merecem".

Jared Leto também comentou que uma parte muito significativa das cenas do Joker tinha ficado na mesa de montagem e que se poderia fazer um filme adicional só com elas: restaram 15 minutos. No Campo de Férias da banda 30 Seconds to Mars também desabafou que o projeto que lhe foi apresentado e que ele aceitou fazer era muito diferente e menos artístico do que o que acabou por estrear, assumindo-se desapontado com as críticas generalizadas ao filme.

Uma sequela/nova versão de "Esquadrão Suicida" passou para as mãos de James Gunn ("Guardiões da Galáxia") e chegará aos cinemas a 6 de agosto de 2021.

Regressam Margot Robbie, Viola Davis, Joel Kinnaman e Jai Courtney. A portuguesa Daniela Melchior destaca-se entre as novidades do elenco.

RECORDE O TRAILER DE "ESQUADRÃO SUICIDA".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.