A maioria da programação do FESTin em Cabo Verde está neste momento a ser exibida na Cidade da Praia, com vários filmes, tanto para adultos, como crianças, mas no caso, conforme o diretor do CCPM, João Branco, avançou à Inforpress, decidiu-se por exibir aos mindelenses essas duas películas, um brasileiro e um cabo-verdiano.

“São dois filmes mais para o público adulto, que estão a ser apresentados em Cabo Verde pela primeira vez. Um brasileiro, que faz jus ao facto do Brasil ser uma das grandes potenciais a nível do entretenimento e este cabo-verdiano, que foi gravado com uma produção greco-cabo-verdiana”, explicou o responsável, que destacou o facto das entradas serem “gratuitas”.

Nesta sexta-feira, as pessoas terão assim a oportunidade de ver a comédia brasileira “Vendo ou alugo”, que, de acordo com a sinopse, retrata a “luta” de uma moradora de uma favela para criar os filhos e que decide vender a sua casa para resolver os seus problemas, mas que encontra algumas dificuldades por esta se situar no Morro.

Já sábado, o espaço é reservado à “Zenaida”, esta produção greco-cabo-verdiana, produzida em 2015, que fala de uma mulher vítima de tráfico humano e que está presa numa cidade europeia, sem passaporte e forçada pelos “donos” a trabalhar como prostituta.

Os dois filmes vão ser exibidos, conforme João Branco, sempre às 19 horas, na Sala “Zeca Afonso do CCPM, com entrada gratuita.

Quanto ao resto da programação de dezembro, o CCPM tem na agenda, nos dias 19 e 20, uma “reposição especial” do “Crónicas do Mindelo”, considerado um dos “maiores êxitos” de 2018 do Grupo de Teatro do Centro Cultural do Mindelo, e que entra em cena pela sétima vez neste ano.

“Por tudo isso, achamos que poderia ser um bom espetáculo para fechar o ano e também as comemorações dos 25 anos do nosso grupo”, salientou João Branco, que disse também querer brindar os emigrantes que estarão de férias em São Vicente com um espetáculo que “traz as estórias da cidade do Mindelo”.

O “Crónicas do Mindelo”, que teve a sua estreia no último mês de março, tem um elenco formado por 16 atores e que, segundo a mesma fonte, são convidados, no início de cada apresentação, a relatar um pouco das memórias que têm das mais de meia centena de produções do grupo nestes 25 anos de existência.

“O mais interessante é que teremos relatos de produções de algum tempo, mas também os mais contemporâneos, porque temos no elenco gente que está desde do início da criação do grupo e outras que entraram agora”, sublinhou.

João Branco apontou outros “atrativos”, como o facto de ser a “estreia” de Rocca Vera-Cruz, que escreveu o texto original, mas também por contar com uma cenografia criada pelo conhecido carnavalesco mindelenses Fernando Morais e ainda por ter um acompanhamento musical da autoria da João Carlos Silva e interpretada por Eliana Rosa, que já foi vencedora do concurso Todo Mundo Canta.

“Muitos motivos para que as pessoas vejam ou revejam este espetáculo”, reforçou, deixando o convite para este “Teatro de Natal”, marcado para os dias 19 e 20, no Centro Cultural do Mindelo, às 21:00.

LN/JMV