O Festival de Cannes termina esta segunda-feira os preparativos para o início de uma das edições mais ambiciosas dos últimos anos, com forte presença de Hollywood, mais glamour, estrelas de rock e, certamente, o peso do cinema de autor.

Sob o imenso cartaz oficial com uma foto da realizadora francesa Agnès Varda, que faleceu recentemente, posicionado no Palácio dos Festivais, os operários preparavam a decoração e a passadeira vermelha que receberá diversas estrelas a partir de terça-feira.

Além de realizadores consagrados como Quentin Tarantino e Terrence Malick, atores famosos como Brad Pitt e Leonardo DiCaprio, o festival receberá estrelas de outras áreas - como o cantor Elton John e o ex-jogador Maradona. No último minuto foi anunciada a presença do ator espanhol Javier Bardem, que abrirá o festival ao lado da atriz e cantora Charlotte Gainsbourg.

O cineasta mexicano Alejandro González Iñárritu presidirá o júri que anunciará no dia 25 de maio a Palma de Ouro, que terá na sua disputa seis diretores que já venceram o prémio máximo de Cannes: Tarantino, Malick, o britânico Ken Loach, os irmãos belgas Jean-Pierre e Luc Dardenne e o francês Abdellatif Kechiche.

Almodóvar, nova oportunidade

Pedro Almodóvar, o eterno candidato, participa no festival pela sexta vez, este ano com "Dolor y gloria", o seu filme mais introspectivo e que foi selecionado por Cannes apesar de ter estreado na Espanha em março. A longa-metragem é protagonizada por Antonio Banderas e conta ainda com Penélope Cruz.

Outros 20 filmes estão na mostra oficial e um dos mais aguardados é "Era Uma Vez em... Hollywood", dirigido por Tarantino e que reúne pela primeira vez na mesma produção DiCaprio e Pitt, nos papéis de um ator e o seu duplo na Los Angeles do fim dos anos 1960.

Além disso, Cannes selecionou um nome forte para o filme de abertura: o realizador americano Jim Jarmusch apresentará "The Dead Don't Die", longa-metragem com um elenco de peso que inclui Bill Murray, Tilda Swinton e Adam Driver, além de nomes do mundo da música, como Selena Gómez, Iggy Pop e Tom Waits.

Malick apresentará o seu filme ambientado na Segunda Guerra Mundial "A Hidden Life", os Dardenne competirão com "Le jeunne Ahmed", Loach com "Sorry we missed you" e o canadiano Xavier Dolan com o drama "Matthias & Maxime".

Portugal vou a ficar de fora, mas Brasil volta à mostra oficial

Portugal ficou de fora da disputa pela Palma de Ouro, pelo que a língua portuguesa está representada com o filme "Bacurau", do Brasil, dirigido por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, protagonizado por Sônia Braga, longa-metragem de aventura e ficção científica gravada no sertão do Seridó, na fronteira entre Rio Grande do Norte e Paraíba.

Quatro realizadoras estão na mostra oficial, todas pela primeira vez, incluindo a austríaca Jessica Hausner.

À margem da competição, o Festival de Cannes dará espaço para estrelas de rock: Elton John, que está na sua digressão despedida, apresentará "Rocketman", filme sobre a sua vida, enquanto Bono comparecerá ao festival para apoiar "5B", sobre o primeiro hospital que tratou pacientes com Sida nos Estados Unidos.

Outro 'outsider' em Cannes será o ex-jogador Diego Maradona, aguardado em Cannes para a estreia do documentário sobre os anos em que jogou no Nápoles, nos anos 1980, dirigido pelo britânico Asif Kapadia.

O realizador mexicano Alfonso Cuarón ("Roma") deverá ainda apresentar no festival uma versão restaurada de "Shining", de Stanley Kubrick.