A estreia na China do filme "Bohemian Rhapsody", a biografia de Freddie Mercury, revoltou a comunidade homossexual do país porque os censores eliminaram partes importantes da história do vocalista da banda Queen.

Na versão lançada na China, várias cenas sobre a homossexualidade de Mercury desapareceram, incluindo o momento crucial em que ele a revela à sua companheira.

As cenas românticas entre os homens também foram retiradas, como o beijo entre Mercury e o seu assistente pessoal.

"A estreia na China não é diferente de uma história fabricada", declarou Hua Zile, fundador do Voice of China LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais), uma plataforma de defesa e comunicação para a comunidade gay da China, com mais de um milhão de seguidores no Weibo, o Twitter chinês.

"O filme censurado não respeita a experiência real do personagem", afirmou à AFP.

"Para os gays no país, é uma grande lástima", acrescentou.

Na China, é comum que os filmes passem por um processo rigoroso de aprovação e tenham cenas cortadas antes de receber luz verde para o lançamento.

Filmes com temáticas homossexuais geralmente têm problemas para chegar aos cinemas, enquanto os de relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo são proibidos nas telas de televisão e o conteúdo gay é proibido em plataformas de transmissão on-line.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.