Segundo o presidente da ACACV, Mário Benvindo Cabral, a geração pós-independência “não conhece muito” da história de Amílcar Cabral, por isso através deste concurso a associação deseja ajudar os jovens a conhecerem melhor a cultura, os heróis nacionais e a luta pela independência do país.

“Precisamos falar mais de Cabral, falar dos nossos líderes porque na verdade tudo tem a ver com a nossa história. A luta de libertação nacional é um marco irreversível e na verdade tudo começou ali, então não podemos deixar de falar das pessoas que deram a sua vida para que pudéssemos estar aqui”, concretizou, em declarações aos jornalistas.

Mário Benvindo Cabral disse acreditar que a Fundação será um parceiro de “capital importância” para dar seguimento a este concurso, sobretudo porque este pode ajudar esses jovens a terem um “trabalho consistente” de pesquisa.

Por sua vez, o administrador da Fundação Amílcar Cabral, Adão Rocha, considerou de “extrema importância” esse concurso, que vai “contribuir para o desenvolvimento da cultura nacional” e para a promoção de “figuras importantes” da história do país.

A Fundação, segundo a mesma fonte, vai disponibilizar todo o seu acervo documental, de peças audiovisual, de testemunhos sobre Amílcar Cabral e especialistas para apoiar os jovens na investigação desta curta-metragem, entre outros.

O concurso vai ser lançado no dia 12, na sede da fundação Amílcar Cabral.

AM/AA

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.