Pierce Brosnan descreve o período como James Bond como o momento mais alto da sua carreira, mas acha que está altura de ser uma mulher a ter o papel.

No momento em que se fala de que Lashana Lynch será o 007 no 25º filme, "No Time do Die", o ator foi categórico quando lhe falaram sobre a possibilidade de uma mudança tão radical.

"Sim! Acho que vimos os rapazes fazê-lo durante os últimos 40 anos [na verdade, desde 1962], rapazes, saiam do caminho e coloquem lá uma mulher. Acho que seria animador, seria emocionante", respondem aos jornalistas no Festival de Deauville, onde foi homenageado com um prémio de carreira este fim de semana.

O intérprete de Bond em quatro filmes entre 1995 e 2002 expressou dúvidas de que esta mudança seja possível com os atuais produtores da saga, os irmãos Barbara Broccoli e Michael G. Wilson.

"Acho que não vai acontecer com os Broccolis. Acho que isso não vai acontecer sob a sua alçada", previu.

Assim, o ator não partilha a opinião de outros atores que estiveram na saga, nomeadamente Rosamund Pike, a "Bond girl" Miranda Frost, do seu último filme como agente secreto, "007 - Morre Noutro Dia" (2002), que defendeu que a personagem foi uma criação masculina de Ian Fleming e segeriu a criação de uma agente feminina espantosa, dura, imprevisível e sem remorsos... que ela estaria interessada em representar.

Pierce Brosnan salientou ainda que o sedutor Bond tem de acompanhar os novos tempos.

"Sem dúvida que sim. O movimento #MeToo tem sido relevante e significativo e bem necessário na nossa sociedade, portanto eles precisam de lidar com isso", explicou.

007 - GoldenEye(1995)

Sobre os filmes, não tem dúvida que são o seu momento mais alto no cinema e, aludindo aos seis anos em que não houve filmes após os dois com Timothy Dalton que desiludiram nas bilheteiras, "puxou pelos galões".

"James Bond tem uma certa relevância e um profundo orgulho. Vão-me fazer perguntas sobre ele até aos meus últimos dias, faz parte do programa. É uma personagem muito amada. Tive a honra que interpretar o papel e rejuvenesci uma saga que estava dormente", concluiu.

"No Time To Die" deverá ser o último em que Daniel Craig intepreta o agente secreto com ordem para matar e é co-protagonizado por Léa Seydoux, Ana De Armas, Lashana Lynch e Rami Malek, no papel do vilão, além dos habituais Ralph Fiennes, Naomie Harris, Ben Wishaw, Rory Kinnear e Jeffrey Wright.

O realizador é Cary Fukunaga, que co-escreveu o argumento com Scott Z. Burns e Phoebe Waller-Bridge ("Fleabag", "Killing Eve").

A data de estreia no Reino Unido será a 3 de abril de 2020 e nos Estados Unidos a 8 de abril de 2020. Em Portugal, "No Time To Die" chega aos cinemas no dia seguinte, a 9 de abril.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.