A 5 de dezembro, Kevin Hart foi anunciado como o anfitrião da 91ª cerimónia dos Óscares, mas a controvérsia que se gerou imediatamente por causa de antigas piadas e mensagem homofóbicas levou à sua desistência apenas 48 horas mais tarde.

Segundo várias fontes em Hollywood, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas encontrou problemas para encontrar um substituto disponível para aceitar as pressões do cargo (da cerimónia e externas) e estaria a ponderar avançar sem um anfitrião pela primeira vez em 30 anos.

Agora, de acordo com uma notícia da Variety, é mesmo isso que vai acontecer a 24 de fevereiro.

A não ser que surja alguma alteração de última hora, o plano passa por requisitar várias estrelas de grande estatuto para apresentar vários segmentos, com destaque para paródias à volta do tema da música no cinema, aproveitando o impacto de sucessos como "Assim Nasce Uma Estrela" e "Bohemian Rhapsody".
Em relação a Kevin Hart, parece que a Academia estava mesmo disponível para aceitar o seu regresso se mostrasse arrependimento genuíno durante a entrevista no programa de Ellen DeGeneres, exibido a 4 de janeiro.

A intenção descarrilou quando ele se apresentou como a vítima de uma conspiração negativa "online", o que originou muitas reações negativas.

No mesmo programa, Ellen DeGeneres sugeriu que a Academia queria o regresso a qualquer preço.

Segundo a Variety, isto deixou a organização "furiosa" com a apresentadora, que terá colocado fora do contexto um telefonema com alguém na organização quando tentou pressionar para o regresso.

Esta quarta-feira, o ator e comediante disse que não ia alimentar mais a controvérsia ou apresentar os Óscares.