"Bohemian Rhapsody" não vai ser nomeado para Melhor Filme pelos GLAAD Media Awards, anunciou na quinta-feira a organização Gay & Lesbian Alliance Against Defamation.

O "biopic" sobre Freddie Mercury e a sua batalha com a Sida tinha sido defendido pela organização e era um favorito às nomeações para os prémios destinados a distinguir filmes que representem de forma credível e inclusiva a comunidade LGBT, que serão anunciados esta sexta-feira.

Ver artigo

A retirada do filme é por causa das novas acusações de violação envolvendo menores que surgiram contra o realizador Bryan Singer num artigo de investigação publicado na quarta-feira pelo The Atlantic.

Em declarações à Variety, a GLAAD diz que a retirada do filme foi uma decisão ponderada que toma uma posição em relação às vítimas de ataque sexual.

A organização salienta que o artigo destaca de forma clara "uma realidade que não pode ser ignorada ou sequer tacitamente premiada" e que "as acusações mais recentes contra o comportamento do realizador são horríveis e devem ser levadas a sério e investigadas".

Há anos que circulam boatos sobre a má conduta sexual de Bryan Singer e este tem sido alvo de denúncias de abuso contra menores. Vários casos foram arquivados ou resolvidos através de acordos financeiros, sem chegar aos tribunais.

Na quinta-feira, Singer voltou negar as acusações e qualificou de "difamador e homofóbico" o artigo com novos testemunhos de quatro homens que afirmam ter feito sexo com o cineasta, incluindo dois quando eram adolescentes, assegurando que a revista procura prejudicar o filme sobre a vida de Freddie Mercury e a banda Queen, nomeado para cinco Óscares, incluindo o de Melhor Filme.

"A última vez que escrevi sobre este tema, a revista Esquire estava prestes a publicar um artigo escrito por um jornalista homofóbico que tinha uma obsessão comigo desde 1997. Após cuidadosos controles e perante a falta de fontes credíveis, a Esquire optou por não publicar esta vingança jornalística, mas isto não impediu que o autor vendesse [o artigo] ao The Atlantic", escreveu o realizador, que se mantém nos créditos de "Bohemian Rhapsody" apesar de ter sido despedido a poucas semanas do fim da rodagem e substituído por Dexter Fletcher.