Promovida em parceria com a Comissão de Combate ao Álcool e outras Drogas, esta segunda edição de curtas-metragens, tem como tema “Consequências do uso de bebidas alcoólicas” com o propósito de contribuir para a sensibilização da população para os males do álcool para com a sociedade.

O presidente da ACACV, Mário Benvindo Cabral, avançou à Inforpress que o concurso decorre até 31 de janeiro, sendo que os vídeos vão ser avaliados por um corpo de jurados (60%) e pelos internautas através dos likes do facebook, com todo o processo de inscrição online,  através da página acacv.cv.

A organização reserva o direito de premiar monetariamente os três primeiros classificados com 100, 60 e 40.000$00, respetivamente”, em meados de fevereiro.

A candidatura, segundo Benvindo Cabral, é aberta a qualquer concorrente que apresente um filme de três a cinco minutos, feito por qualquer material, inclusive telemóvel, seguida da declaração dos participantes do filme, bem como da ficha técnica da película.

Mário Benvindo Cabral disse que o cinema vive atualmente uma “dinâmica interessante” em Cabo Verde e que comemorar a efeméride  demonstra que o país “tem cinema experimental”, que “mereça ser acarinhado”, ainda que o arquipélago não dispõe de uma indústria.

A Associação de Cinema e Audiovisual de Cabo Verde pretende criar uma escola de cinema, visando capacitar interessados “com capacidade” para fazer “produtos de qualidade e o impulsionar o desenvolvimento” do setor no país.

A implantação da escola de cinema no país, é apontado por Benvindo Cabral,  como uma das grandes “ambições da ACACV” para ministrar módulos de produção em várias fases e pensar em categorias diversas com “cursos que dão garantias e sustentabilidade”, de modo a se alavancar a qualidade do cinema cabo-verdiano.

SR/AA

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.