Ao cair do pano de mais um ano, Barack Obama mantém a tradição que começou quando ainda era presidente dos EUA e partilhou as suas escolhas com os favoritos em cinema, literatura e música de 2018.

"Dá-me um momento para parar e refletir sobre o ano através dos livros, filmes e música que achei intelectualmente mais provocadores, inspiradores e simplesmente adorei. Também me dá a oportunidade de destacar autores talentosos, artistas e escritores – alguns são nomes consagrados e outros podem não ter ouvido falar antes", escreveu nas redes sociais a acompanhar as suas listas.

No cinema, as escolhas vão de "Black Panther", a super-produção da Marvel que foi o maior sucesso comercial do ano, ao documentário "Won't You Be My Neighbor?", sobre Fred Rogers, uma das personalidades mais amadas da TV americana.

Destacam-se também vários títulos com poderosas reflexões sobre a sociedade americana, de "BlacKkKlansman: O Infiltrado" a "Blindspotting" e "If Beale Street Could Talk", mas também três sensações do cinema internacional: "Burning" (Coreia do Sul), "Roma" (México) e "Shoplifters" (Japão).

Nos livros, para além de "Becoming", a autobiografia de Michelle Obama ("obviamente o meu preferido!"), destacam-se também obras, dos ensaios à ficção, com reflexões políticas, sociais, raciais e económicas.

Além de uma homenagem à cantora de jazz Nancy Wilson, falecida este mês, nas escolhas musicais surgem sucessos como "I Like It" (Cardi B com Bad Bunny e J Balvin) e "Apeshit" (pelos The Carters, isto é, Beyoncé e Jay-Z), além de "Love Lies" (Normani e Khalid) e "Could've Been" (H.E.R.)

VEJA AS LISTAS.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.