Artigo

Depois da festa, as contas: Quanto vai custar organizar a Eurovisão?

Salvador Sobral, com "Amar pelos Dois", venceu o Festival Eurovisão da Canção. Como manda a tradição, em 2018, o evento irá realizar-se em Portugal.

créditos: Andres Putting

Pela primeira vez na história, Portugal venceu o Festival Eurovisão da Canção, que este ano se realizou em Kiev, na Ucrânia. E, ao contrário do que diz a letra de "Amar pelos Dois", já é preciso fazer planos para "o que virá depois".

Ditam as regras que o país vencedor recebe o evento no ano seguinte, entre a segunda e a terceira semana de maio. Ao que tudo indica, Lisboa será o palco do festival - em declarações ao Observador, Nuno Artur Silva revelou que há um pedido da organização: que a Eurovisão 2018 se realize no MEO Arena.

"É um evento comercialmente muito apetecível", frisou o administrador da RTP ao Público, acrescentando que será necessário procurar vários parceiros. "[O investimento] Não tem cabimento no orçamento da empresa", explicou, defendendo ainda que "o evento é importante não apenas para as marcas comerciais, mas também para a marca Portugal e Lisboa, nomeadamente em termos turísticos".

Ao jornal, o diretor de Programas da RTP, Daniel Deusdado, explicou ainda que a  direção e a administração da RTP irá reunir-se para começar a preparar a edição de 2018 da Eurovisão. Para a elaboração do plano será fundamental a pasta que foi entregue a  Gonçalo Madail, subdiretor da RTP, no final da conferência de imprensa da final do evento.

Mas quanto vai custar?

De acordo com os números conhecidos, nos últimos cinco anos, cada edição do Festival Eurovisão da Canção custou, em média, 30 milhões de euros. Segundo os dados revelados pelo The Telegraph, a edição mais cara foi em Baku (2012), no Azerbaijão, com os custos a rondarem os 57 milhões de euros. Já a edição mais barata realizou-se em 2016, em Estocolmo (Suécia) - 14 milhões de euros.

O banco inglês Natwest estima que gastos de 2012 a 2015 totalizaram aproximadamente 152,5 milhões de euros. "Cada cidade anfitriã tem visto um impulso modesto no turismo de curto prazo e na sua economia local", explicam os economistas, frisando que é difícil estimar os benefícios a longo prazo.

De acordo com o Observador, se os custos da edição de 2018 rondarem os 30 milhões de euros, significa que a RTP terá de investir 12,72% do orçamento anual (235,8 milhões de euros).

Comentários