Artigo

Mário Lúcio apresenta álbum “Funanight” a 20 de outubro na Praça Central de Assomada

O músico e compositor natural de Tarrafal de Santiago Mário Lúcio Sousa apresenta, a 20 de outubro, o seu novo álbum “Funanight” num concerto com entrada livre na Praça Central de Assomada, concelho de Santa Catarina.

créditos: Diana Tinoco

O concerto de apresentação do CD lançado em março, o quinto da sua carreira, que vem sete anos depois e sucede “Kreol” editado em 2010, vai contar possivelmente com a participação dos artistas Zeca di Nha Reinalda, Bob Mascarenhas e Princezito.

O concerto organizado pela Câmara Municipal de Santa Catarina e que envolve vários parceiros está enquadrado no Dia Nacional da Cultura, assinalado a 18 de outubro.

Segundo uma nota enviada à Inforpress, neste álbum, o artista faz uma homenagem ao Funaná, género musical tocado com gaita (acordeão diatónico) e ferrinho (uma barra de ferro, em forma de cantoneira, tocada com uma faca – percussão que nasceu na ilha de Santiago, Cabo Verde, por volta do séc. XIX.

A mesma fonte informa ainda que “Funanigth”, que já está disponível para pré-venda nas plataformas online foi gravado e mixado no Molatoing Estúdio, no Rio de Janeiro (Brasil), tem duas outras versões com títulos diferentes: Onti (á capella) e Oxi (remix), que abrem e fecham o disco.

Mário Lúcio nasceu no Tarrafal, ilha de Santiago, Cabo Verde em 1964. Começa desde cedo no mundo da música, sendo que aos 14 anos faz parte da banda Abel Djassi.

Forma-se em Direito pela Universidade de Havana, mas a música será o seu primeiro objetivo. Mais tarde funda o grupo Simentera e grava os álbuns: Raiz (1995), Barro e Voz (1997), Simentera (1999), Tr’aditional (2002).

A sua carreira a solo seria então inevitável e grava: Mar e Luz (2004), Ao Vivo e Aos Outros (2006), Badyo (2008), Kreol (2010). Percorre então os palcos dos vários continentes e grava com os mais conceituados nomes da música mundial.

Resultado de vários projetos ligados à música, dos quais foi mentor, com destaque para a AME – Atlantic Music Expo – que põe de pé juntamente com o Ministério da Cultura, que lidera como ministro da Cultura – de 2011 a 2016 -, em 2014 é distinguido como Personalidade Womex.

Na área da literatura, publicou “Nascimento de Um Mundo” (poesia, 1990); “Sob Signos da Luz” (poesia, 1992), “Para Nunca Mais Falarmos de Amor” (poesia, 1999), “Os Trinta Dias do Homem Maïs Pobre do Mundo” (Prémio do Fundo Bibliográfico da Língua Portuguesa), “Vidas Paralelas” (2002), “O Novíssimo Testamento” (Prémio Carlos de Oliveira, Portugal).

Ainda “Biografia do Língua” (Prémio Miguel Torga – Cidade de Coimbra 2015): “Adão e As Sete Pretas de Fuligem” (teatro, 2001), “Saloon”, (2002), “Sozinha no Palco” (2004), “Vinte e Quatro Horas na Vida de Um Morto” (2006), “Um Homem, Uma mulher e um Frigorífico” (2007), “Adão e Eva” (teatro).

É ainda membro da Academia Cabo-verdiana de Letras (ACL).

Comentários