Artigo

Marcelo inicia “simbolicamente” visita a Cabo Verde com condecoração a Tito Paris

O Presidente da República afirmou hoje querer iniciar "simbolicamente" a visita de Estado a Cabo Verde com uma condecoração ainda em Lisboa ao músico cabo-verdiano Tito Paris, para sublinhar a importância da cultura.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (D), abraça o cantor cabo-verdiano Tito Paris após o ter agraciado com o grau de comendador da Ordem do Mérito, 08 de abril de 2017, no Palácio de Belém em Lisboa. O Presidente da República inicia hoje uma viagem a Cabo Verde e ao Senegal JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

créditos: Lusa

Marcelo Rebelo de Sousa viaja para Cabo Verde dentro de poucas horas, país ao qual realiza uma visita de Estado de três dias, mas "quis que [a viagem] começasse mais cedo com esta condecoração".

"Será a única personalidade cabo-verdiana condecorada a propósito desta visita de Estado para mostrar que mais do que a política, mais do que os negócios, mais do que que a economia, mais do que as finanças, é a cultura o que importa", destacou o chefe de Estado português.

Tito Paris foi agraciado com o grau de comendador da Ordem do Mérito, destinada a galardoar atos ou serviços meritórios praticados no exercício de funções, públicas ou privadas, que revelem abnegação em favor da coletividade.

"Eu não sou homem de discursos, só sei cantar", disse, ao agradecer a condecoração, acrescentando que este "é mais um sonho" concretizado na sua vida.

No discurso que proferiu antes da condecoração, o Presidente da República referiu-se a Tito Paris como "um dos responsáveis pela divulgação da música de Cabo Verde em todo o mundo" e que tem contribuído "ampla e generosamente para a aproximação cultural" com Portugal.

"Mas é também um fazedor de pontes, a sua vida é estabelecer pontes, abrindo caminho com a sua música e o seu ritmo africano. Uma dessas pontes é com Portugal, que sabemos que traz sempre no coração", afirmou o chefe de Estado.

Depois da condecoração e enquanto posava para algumas fotografias com Tito Paris, seus amigos e familiares, o Presidente da República aproveitou para lhe transmitir saudações do primeiro-ministro, António Costa, e do presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, e confessou um pensamento que teve antes da cerimónia: "Será que ele vai agradecer cantando?"

Tal não aconteceu, mas em declarações aos jornalistas no final da condecoração, o músico, cantor e compositor cabo-verdiano contou que já cantou com Marcelo Rebelo de Sousa e até disse qual seria a música que voltaria a entoar com o chefe de Estado português.

"Cantava uma música muito conhecida de todos os portugueses que é o ?Saudade' e desafiava também o senhor Presidente a cantar comigo, já cantou comigo", afirmou, lamentando não ter trazido hoje nenhum instrumento.
Sobre a visita de Marcelo Rebelo de Sousa a Cabo Verde, Tito Paris espera um "apertar de laços", sobretudo pela vertente cultural.

"Um povo que não tem cultura é um povo apagado", disse.

A assistir à condecoração esteve também o deputado do CDS-PP Filipe Anacoreta Correia, que acompanhará o chefe de Estado português na visita de Estado.

Depois da condecoração, Marcelo Rebelo de Sousa viajará para a cidade da Praia, capital de Cabo Verde, onde deverá chegar cerca das 19:30 locais (21:30 em Lisboa).

Natural do Mindelo, na ilha de São Vicente, onde nasceu a 30 de maio de 1963, Tito Paris é o penúltimo de nove irmãos, na sua grande maioria músicos.

Comentários